Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Circuncidado, sim ou não?”

“Nunca tive um namorado que fosse circuncidado e essa característica é algo que me intriga bastante. Será que um homem circuncidado me pode proporcionar mais prazer? Existem diferenças para a mulher com quem ele tem relações sexuais? Sim, ou não?”

 

Carolina, Barcelos

 

Cara leitora,

Embora a diferença entre um pénis circuncidado e um que não o foi seja aparentemente pequena – o pénis circuncidado não tem a membrana envolvente, porque lhe foi removida – existem algumas diferenças no que diz respeito à forma como o pénis “se comporta” durante o ato sexual e nas sensações a ele relacionadas.  Num homem não circuncidado, quando o pénis tem uma ereção essa membrana de pele retrai-se, expondo a cabeça do pénis, ajudando a diminuir a fricção durante o ato sexual, criando também mais lubrificação na mulher. Como tal, um pénis em que essa membrana foi removida pode precisar de lubrificação adicional para ambos os parceiros para que sinta mais prazer. O odor libertado pode também ser diferente, e há que ter alguns cuidados pois os homens circuncidados são mais sensíveis a irritações da pele, embora sejam menos vulneráveis às infeções sexualmente transmissíveis.

Fantasias Sexuais

aaa_1.jpg

 

Há alguns anos atrás este assunto era um tabu na nossa sociedade. Não quer dizer que muitos homens e mulheres não tivessem inúmeras fantasias sexuais, mas na verdade, estes pensamentos libidinosos eram considerados pecado e, na maior parte das vezes, jamais eram revelados e poucas vezes concretizados.

 

Hoje em dia, a mente está mais aberta a estas situações e, a verdade é que, muitas vezes, a realização destas fantasias pode salvar casamentos, que desta forma conseguem fugir à rotina.

 

A fantasia sexual é descrita como um desejo que um determinado indivíduo tem, de fazer algo diferente do habitual a nível sexual, que só de imaginar lhe dá um enorme prazer.

 

É claro que existem algumas fantasias que são condenáveis, porém outras podem tornar a nossa intimidade cada vez mais saudável.

 

As fantasias sexuais mais comuns entre os homens revelam-se na vontade que estes têm de fazer amor com uma enfermeira, uma professora ou uma empregada doméstica.

 

No caso das mulheres, elas fantasiam com homens de farda e também com um professor, por exemplo. Os ambientes onde se possa ter uma relação sexual com alguém, são também muito fantasiados, sendo que locais perigosos, onde haja hipótese de se ser apanhado, são os mais usuais. Falamos, por exemplo, de elevadores, em piscinas ou dentro do carro.

 

Não se envergonhe de realizar as suas fantasias sexuais, desde que não se coloque em perigos reais e não prejudique ninguém.

Tenho 18 anos e perco a ereção!

erectile-dysfunction-treatment.jpg

Tenho 18 anos, e estou a tentar começar uma vida sexualmente ativa com a minha namorada. O problema é que perco completamente a ereção durante os preliminares, não conseguindo recuperá-la. Tentámos por duas vezes, e eu perdi sempre a erecção. O que posso fazer?

Francisco, Tomar

 

Caro leitor,

Dada a sua idade, acredito que a causa destas dificuldades tenham causas psicológicas – o leitor parece ter entrado num ciclo vicioso, depois de uma experiência que correu mal, começou a sentir ansiedade de antecipação e a ficar preocupado com isso, o que influencia muito as relações sexuais seguintes, de modo negativo. É muito normal que a primeira vez que tente fique preocupado se vai conseguir, se vai agradar à sua namorada, só o nervosismo de ser a primeira é suficiente para que surjam dificuldades. Mas não diga que não consegue recuperar a ereção, pois se a estimulação continuar e mantiver um espírito positivo, dizendo a si mesmo que é normal perder-se uma ereção, outras se seguirão certamente.

Provavelmente, quando chega a hora de tentar a penetração, o seu corpo e mente estão num modo que não é sexual mas ansiogénico, mergulhados em preocupações e a sentir muito menos o prazer. É muito importante que perceba este ciclo vicioso e o consiga cortar: Relaxe, não desista de ter relações sexuais só porque perdeu aquela ereção, pois se continuar a estimulação outras se seguirão certamente; ganhe confiança com a sua parceira sexual, para que ela seja paciente e o faça se sinta à vontade; treine a colocação e utilização do preservativo na masturbação; experimente comprar anéis penianos numa sex-shop, que o podem ajudar ligeiramente a aguentar o afluxo de sangue no pénis…

“Como posso recuperar a auto-estima e o prazer?”

 

O meu marido teve problemas financeiros e eu ajudei-o a pagar algumas dívidas, agora culpo-o pelas nossas dificuldades sem que ele saiba. Não sei se por causa disso, tenho um problema: não consigo ficar excitada, a minha razão quer mas a minha emoção não responde.

Tive problemas com fungos devido ao stress e contagiava o meu parceiro, isto acontecia com muita frequência, depois de um certo tempo fui-me sentindo culpada e automaticamente deixo de ficar lubrificada, só sinto sono e vontade de fugir. Como posso aumentar a minha auto estima e voltar a ser normal?”

 

Carmo, Loures

 

Cara leitora,

Como a sua relação tem algumas questões a serem resolvidas, a terapia de casal pode ajudar-vos e ter consequências positivas na vossa sexualidade. Procure terapeutas familiares ou de casal, decerto poderá encontrá-los na sua zona. As preocupações são contrárias ao prazer e à excitação (onde a lubrificação é um sinal físico), pelo que a vossa sexualidade está a sofrer de assuntos por resolver entre o casal.

O facto de referir as dívidas leva-me a pensar se não estará a encarar a sua vida conjugal como demasiado estereotipada: o marido dá o sustento e a mulher cuida dos filhos... liberte-se dessas ideias feitas e seja criativa, adapte-se à sua situação individual e em equipa, em casal. 

Ter uma vida sexual activa depois dos 60 é errado?

homem-meia-idade-homem-1345730781328_956x500.jpg

 

"Tenho 65 anos e sou viúvo. Há um ano e meio que namoro uma senhora de 59 anos de quem gosto e com quem tenciono casar. Damo-nos muito bem e temos uma vida sexual bastante boa, no entanto as pessoas criticam-nos dizendo que somos "velhos demais" para essas coisas e que devíamos ter juízo. Será que eles têm razão?"

Adelino - Carnaxide

 

Caro leitor,

Claro que não! Ao contrário do que algumas pessoas mais jovens possam pensar, muitos homens e mulheres entre os 50 e 80 anos de idade continuam a ter relações sexuais, havendo mesmo quem afirme que sentem mais prazer agora do que quando eram mais novos. Há indivíduos no entanto que reduzem a sua atividade sexual nessas idades, mas por vezes isso é devido à dificuldade em encontrar parceiro, ou deve-se a pressões sociais como as que o leitor está a ser alvo, tabus a nível pessoal acreditando que não é correto ser sexualmente ativo, ou mesmo preocupações de saúde achando que o sexo pode causar doenças. É difícil estimar a atividade sexual em indivíduos de idades mais avançadas, pois tal como os adolescentes, eles tendem a reprimir e esconder a sua vida íntima com medo de serem criticados. Não se preocupe com aquilo que os outros pensam pois provavelmente têm ciúmes da sua relação. Aproveite a boa disposição da sua companheira, divirtam-se e vivam a vossa relação da forma que vos trouxer mais felicidade. Façam aquilo com o qual se sintam confortáveis.

Culinária erótica

erotic_f8a491_c.jpg

 

Para estimular todo o apetite sexual entre si e o seu parceiro, prepare receitas afrodisíacas com alimentos que estimulam a líbido. Não se esqueça, porém, que o ambiente que envolve as suas refeições com o seu par pode fazer toda a diferença nos momentos mais íntimos.

Os pratos afrodisíacos são mais um complemento para a paixão. Quando colocar na mesa estas delícias acenda duas velas vermelhas (a cor do amor) e acenda um incenso de rosmaninho. A noite vai aquecer se por baixo da sua roupa provocar o seu amante com uma lingerie também vermelha. Para o cenário ficar completo prepare estas maravilhas excitantes.

Creme afrodisíaco de cenoura
Ingredientes: 2 cenouras * 1 chávena de sumo de laranja * 1 colher de sopa de mel * 4 colheres de sopa de natas * 1 cravinho * 1 pau de canela * ½ colher de chá de gengibre * 1 colher de café de noz-moscada * Sal, pimenta q.b.
Preparação: Coloque uma panela ao lume a ferver com todos os ingredientes menos o mel e as natas, e deixe cozer durante 15 minutos. De seguida triture todos os ingredientes. Ligue novamente o lume e junte a esse caldo o mel e as natas, não deixe ferver. A sua sopa está agora pronta a ser servida.

Salada romântica
Ingredientes: 4 colheres (de sopa) de açúcar * 1 melão pequeno * 4 metades de pêssego em calda * 2 dl de natas
canela q.b. * 1 embalagem pequena de gelado de baunilha * 2 merengues já confecionados * gengibre q.b.
Preparação: Corte as metades de pêssego em cubos pequenos. Descasque o melão e corte-o também em pequenos cubos. Coloque 1 colher de gelado no fundo de cada taça e por cima coloque em partes iguais, cubos de pêssego e de melão, polvilhe com canela e gengibre. Faça uma nova camada repetindo a operação anterior. Termine colocando por cima os merengues desfeitos em pedaços. Por fim bata as natas em chantilly e decore a gosto.

Salmão excitante
Ingredientes: 2 filetes de salmão * Caldo de peixe q.b.
natas q.b. * 1 colher (café) de caril em pó * Sumo de 1 limão * Sal, pimenta e azeite a gosto
Preparação: Deixe o salmão a marinar com sal, pimenta e sumo de limão durante 15 minutos. Aqueça o azeite numa frigideira e grelhe o salmão em lume brando. Quando estiver a ficar ligeiramente dourado de ambos os lados, acrescente o caldo de peixe e aumente um pouco o lume. Deixe engrossar o caldo durante mais ou menos 4 minutos. Adicione as natas e o caril e deixe cozinhar mais 2 ou 3 minutos. Sirva acompanhado de arroz branco.

 

Fondue de chocolate
Ingredientes: 500g de chocolate para culinária * 1 pacote de natas * 3 colheres (sopa) de vinho do Porto * 1 pitada de gengibre
Preparação: Numa caçarola coloque o chocolate para culinária partido aos pedaços, e leve ao lume em banho-maria para derreter. Aromatize com o vinho do Porto, junte as natas e a pitada de gengibre e misture. Verta o Chocolate na taça do fondue e sirva com frutas: morangos, ananás, mangas, uva, maçãs, bananas, etc.

Qual a diferença entre um orgasmo vaginal e um orgasmo clitoriano?

mujer-orgasmo.jpg

 

"Sou um homem apaixonado pelas mulheres e procuro dar sempre o máximo de prazer às minhas companheiras. Ouvi dizer que as mulheres podem ter orgasmos vaginais e clitorianos, e gostava de saber qual é a diferença entre eles!"

Paulo - Coimbra

 

Caro leitor,

Essa sua preocupação em procurar compreender o corpo das suas companheiras para lhes proporcionar o máximo de prazer é bastante positiva e contribui para que qualquer relação seja melhor. Os orgasmos clitorianos distinguem-se dos vaginais em primeiro lugar pelo tipo de estimulação física que a eles conduz, e naturalmente também à parte do corpo que envolvem. O orgasmo vaginal surge pela estimulação da vagina através da penetração, quer seja feita com o pénis, com a mão ou com um brinquedo sexual, e acontece quando não há qualquer estimulação do clítoris. Contudo, a vagina contém poucas terminações nervosas, e como tal não produz um orgasmo sozinha. Assim, em vez de pensar no clítoris e na vagina como partes separadas, veja-os como parte de uma teia de músculos e terminações nervosas. De facto, o clítoris estende-se e rodeia a vagina, a uretra e o ânus. Em vez de pensar nos orgasmos como vaginais ou clitorianos faz mais sentido pensar nas sensações que o acompanham. Afinal de contas, um orgasmo é sempre um orgasmo!

“Não tenho lubrificação suficiente!”

 

"Não sei porquê, mas há uns tempos tenho tido dificuldade em ficar lubrificada. Será que esta mudança se deve ao facto de eu estar perto da menopausa?”
Susana, Ericeira
 
Cara Leitora,
Realmente o facto de estar a entrar na menopausa pode causar alterações dos níveis hormonais, nomeadamente níveis irregulares de estrogénio. Esta redução de estrogénio causa diminuição da lubrificação durante o acto sexual, o que pode resultar em dores durante a penetração. A redução de lubrificação pode também ser o sintoma de uma infecção vaginal. Existem alguns medicamentos que provocam como efeitos secundários a redução da lubrificação e do desejo sexual. Para poder esclarecer todas as suas dúvidas a este respeito aconselho que consulte o seu ginecologista, para que juntos encontrem a solução para o seu problema de forma a recuperar a satisfação e plenitude sexual.
 

“Quero fazer sexo anal!”

 

 “Sempre tive o desejo de experimentar fazer sexo anal, mas tenho algum medo de o dizer à minha namorada pois acho que ela não vai aceitar muito bem esta ideia. Como devo abordar o assunto?”

 

Ricardo, Vila Franca de Xira

 

Caro Leitor,

 O sexo anal é um tabu para a grande parte das mulheres. Deve falar sobre esse assunto de forma cuidadosa sem que a sua namorada se sinta obrigada a concordar. Exponha-lhe a sua fantasia dando sempre a entender que não ficará magoado se ela lho negar, mesmo que até fique um pouco desapontado. Assegure-lhe que não a forçará a nada e que se decidirem fazê-lo, parará se ela assim o pedir. Caso a sua namorada concorde com a prática, não se esqueça do lubrificante, que é fundamental nesta situação!

“O que é um 69?”

“O meu namorado quer variar as nossas actividades sexuais e quer praticar um 69. Eu acho que isso é tipo sexo oral, é verdade?”

 

 

Cara leitora:

Esse termo designa duas pessoas a fazerem sexo oral ao mesmo tempo uma à outra. Quando duas pessoas praticam esta actividade em ficam de cabeça para os pés um do outro, pode parecer o numero 69. Aproveite esta oportunidade de dar e receber prazer ao mesmo tempo.