Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Nunca consegui ter um orgasmo…”

 

 “Já estou há três anos a morar com o meu o namorado e nunca consegui atingir o orgasmo. Será que tenho algum problema?”

 

Tânia, Faro

 

Cara leitora,

Atingir o orgasmo depende muito de mulher para mulher e das situações em que sente o prazer. A maioria das mulheres não atinge o orgasmo com a penetração, mas mais facilmente com masturbação, com sexo oral, com estimulação do clítoris… não valorize demasiado a questão de atingir ou não o orgasmo, pois a sua atenção irá desviar-se do prazer e não se entrega às sensações físicas, tirando menos satisfação daquilo que sente.

Como não sei se alguma vez terá sentido orgasmo é difícil responder-lhe, mas procure como gosta do prazer na masturbação sozinha, acaricie-se e à sua vagina – se a leitora souber do que gosta melhor poderá guiar o seu parceiro ou parceira nessa descoberta.

 

Rapidinhas

Fotolia_67774782_Subscription_Monthly_M.jpg

 

Sexo oral para a mulher

Porque o amor é dar e receber, peça ao seu parceiro que ofereça um mimo especial. Uma dica: "esqueça-se" da revista aberta nesta página em cima da mesa e deixe que ele a veja quando estiver sozinho. Se não resultar, experimente sussurrar-lhe ao ouvido, com voz quente "quero sentir a tua língua em mim… agora!" ou, numa abordagem menos direta, diga-lhe que adora os beijos dele, e que gostava ainda mais de os sentir noutra parte do seu corpo. Oriente-o e partam à descoberta deste momento tão íntimo e que vos irá dar tanto prazer.

 

Para a levar ao sétimo céu…

* Faça-lhe cunnilingus, é a técnica utilizada nas mulheres. O homem deve começar por acariciar e beijar o corpo a partir da boca e no sentido descendente, ou estando deitado por baixo da mulher e começando por beijar, lamber e cheirar as suas pernas e interior das coxas, usando as mãos para acariciar o exterior das coxas.

* Movimente as mãos ao longo da virilha e acaricie gentilmente os pelos púbicos. As coxas começarão a abrir-se ainda mais com a excitação, revelando os lábios interiores e exteriores da vagina.

* Afaste os grandes lábios e descubra o clítoris, mova suavemente a língua para a frente e para trás, para dentro e à volta da área. Chupe a ponta do clítoris delicadamente.

* Insira um dedo dentro da vagina, depois lubrificando a área do clítoris com saliva, continue a lamber. Varie a velocidade.

 

Beijo à "francesa"

Peça ao seu mais-que-tudo que repita "em baixo" exatamente o mesmo que faz com a sua boca…

"Gelado do amor"

Peça-lhe que imagine que está a comer um cornetto e que a sua língua reproduza os mesmos movimentos de quando está a lamber o fundo do cone de bolacha…

Espasmos de prazer

Quer seja ao lamber, quer seja ao chupar, as diferenças de intensidade e de ritmo provocam espasmos de prazer.

Quente e frio

Soprar ar quente, afastar-se da entrada da vagina e soprar ar frio.

Intenso

Com a língua, entra e sai da vagina ou da parte interior dos lábios, "penetrando-a".

“Fantasia filmar cenas de sexo!”

“Eu e o meu namorado temos uma relação muito boa, mas ele tem insistido em filmar as nossas relações. Não sei se o devo fazer pois tenho receio que ele mostre o filme a alguns dos seus amigos.

Ana, Bragança

Cara Leitora,

 

Para que este tipo de fantasias decorra da melhor forma é importante que exista confiança e, essencialmente, cumplicidade entre o par. Se de facto, existe a possibilidade de que a vossa intimidade seja partilhada com terceiros, seja prudente na decisão que tomar, pois não vá a cassete acabar na internet. Fale abertamente com o seu namorado e fale-lhe dos seus receios, e se necessário Peça para ele assinar um “contrato” no qual ele se compromete a não mostrar as filmagens a ninguém, dessa forma poderá reduzir as probabilidades de ele vir a mostrar a cassete a terceiros, pois sabe que pode ser penalizado por isso. Se mesmo assim, não ficar convencida, lembro-lhe que existem outras brincadeiras que podem estimular o prazer e trabalhar a sua sensualidade.

 

“Sexo na gravidez!?”

 

 

“Estou grávida de 5 meses e desde que soubemos que eu estou grávida temos evitado fazer amor. O médico diz que não faz mal, mas nós temos receio.”
 
Teresa, Portimão
 
 
Cara Leitora,
 
Pelo que parece já tiveram um parecer médico que não colocou qualquer entrave às relações sexuais, por isso tranquilize-se. Se a gravidez estiver a decorrer dentro da normalidade não existe qualquer problema em ter relações sexuais. Obviamente, o acto sexual deve ser interrompido caso ocorram perdas de sangue, dores abdominais ou outros sintomas e aí devem solicitar de imediato a intervenção médica. Tanto o leitor como a sua esposa devem agir com tranquilidade e se as dúvidas persistirem não hesitem em conversar com o vosso médico assistente. O facto de estar grávida não quer dizer que não possa viver a sua sexualidade de forma plena e satisfatória.

 

Uma Noite Ardente

original.jpg

 

Planeie a sua noite de sedução começando pelo menos duas horas antes da chegada do seu parceiro. Prepare um menu delicioso, selecione a sua música favorita, ponha a mesa, e relaxe. Apague as luzes e acenda muitas velas. Crie uma iluminação exótica, adornando as lâmpadas com tecidos. A lareira acesa aquece as emoções no inverno, assim como uma brisa balançando as cortinas numa noite quente de verão encanta o ambiente. Monte uma mesa elegante com um arranjo floral para criar um ambiente romântico. Mas não se limite! Um sofá com almofadas macias e uma mesa baixa com um buffet de entradas afrodisíacas pode ser confortavelmente sensual. Ou, melhor ainda, salte da mesa de jantar para o quarto de dormir, preparando uma mesa revestida com pétalas de rosa na sua cama, de forma a poder explorar os prazeres da comida. Renda-se à magia dos aromas usando velas aromáticas de baunilha (relaxante), ou canela (hilariante) ou abóbora (estimulante). O cheiro da culinária também excita. Alho cozinhado, pimenta, cebola, especiarias… um quarto com aromas evoca excitação sensual. O que beber com o seu menu sedutor? Pode preparar cocktails e bebidas exóticas, mas não exagere no álcool pois o álcool provoca desejo, mas prejudica o desempenho sexual.

"A pílula afecta os orgasmos?"

 

"Vou começar a tomar a pílula e gostava que me esclarecesse a respeito de uma dúvida que tenho quanto à sua interferência nos orgasmos. Enquanto algumas amigas me dizem que torna os orgasmos mais fáceis, outras dizem-me que os dificulta. Afinal, quem tem razão?"

 

Susana, Loures

 

 

 

Cara leitora,

 

Os efeitos da pílula não são iguais para todas as pessoas, até porque variam de acordo com a pílula tomada. Assim, a divergência de opiniões que as suas amigas tem relaciona-se não só com o facto de serem pessoas diferentes como também, certamente, com a diferença entre as pílulas que tomam. As pílulas, sejam de que tipo forem, enganam o organismo fazendo-o "crer" que engravidou, para que desta forma não liberte um óvulo. Contudo, as respostas sexuais do nosso organismo estão fortemente ligadas aos nossos níveis hormonais e seja qual for a pílula tomada ela pode diminuir a libido em algumas mulheres. Contudo, tenha em conta que os orgasmos resultam da combinação de fatores físicos e psicológicos, e que poderá contornar os eventuais efeitos da pílula aumentando o tempo de preliminares ou estimulando manualmente o clítoris durante a relação sexual. Há mulheres que têm maiores dificuldades em atingir o orgasmo, mesmo sem tomarem a pílula. É essencial aprender aquilo que despoleta o seu prazer para que, mesmo tomando a pílula, não sofra com os seus eventuais efeitos nocivos.

 

Tenho orgasmos a toda a hora!

 

Tenho um enorme problema que é o facto de ter orgasmos a toda a hora, sem que me possa controlar, o que as vezes é bastante doloroso e embaraçante!

 

Filipa, Caminha

 

Cara leitora,

O orgasmo é uma libertação da tensão sexual, no entanto existem mulheres que têm orgasmos a toda a hora, tal como a leitora descreve, sem que estejam sexualmente excitadas. Este fenómeno é chamado de Síndroma de Excitação Sexual Permanente, e foi apenas recentemente identificado como sendo uma doença. Os sintomas mais comuns deste síndroma são: manifestação de sinais físicos de excitação sexual que dura durante um longo período de tempo sem que haja estimulação sexual, orgasmos frequentes, e excitação física que persiste independentemente da obtenção do orgasmo. Se a leitora acha que tem este problema aconselho-a a perder a vergonha e a consultar um médico ginecologista e um medico neurologista para que estes a possam ajudar a resolver o problema.

"Quero ser o escravo sexual dela"

"Sempre gostei de ser dominado por mulheres mais experientes e com uma postura dominadora. A minha actual namorada é muito tímida, como posso pedir-lhe para ser o escravo sexual dela, sem que ela pense que eu sou um tarado?..."

Nuno,
Espinho

Caro Leitor,

Não há mal nenhum em ser uma pessoa cheia de imaginação! A sua fantasia não é invulgar, de facto existem pessoas por todo o mundo que partilham a mesma preferência. Essa prática é considerada uma das inúmeras possibilidades de interacção sexual entre o casal e chama-se DS, ou seja, Dominação e Submissão. O DS é praticado por indivíduos que gostam de ter relações sexuais nas quais um parceiro é o dominante, no seu caso a sua namorada, e o outro parceiro é o submisso, neste caso você. Fale com a sua namorada e explique-lhe esta sua fantasia, diga-lhe que o seu objectivo é o prazer mútuo e que não a forçará a fazer nada de que ela não goste. Mostre à sua namorada as vantagens desta situação, ela pode pedir-lhe que faça qualquer coisa, desde os mais tímidos carinhos aos mais picantes!

O que é o "fisting"?

top Kissing wallpaper hd 2013.jpg

 

"Sou lésbica e não tive muitas experiências sexuais, mas gostaria de vir a ter. Tenho procurado informação na Internet e em revistas e ouvi falar sobre o fisting, mas não sei exatamente de que se trata ou como seu faz. Pode esclarecer-me?"

Filipa - Sacavém

 

Cara leitora,

A técnica do fisting, que tanto pode ser utilizada entre mulheres como numa relação heterossexual, não é geralmente explicada mesmo quando se abordam as questões relativas às técnicas sexuais. O fisting consiste em introduzir toda a mão dentro da vagina ou do ânus da parceira/(o), e aqueles que são adeptos desta técnica consideram que traz sensações de prazer muito intensas para ambos os parceiros. Há que ter em conta, contudo, que existem riscos envolvidos, pois embora possa proporcionar um prazer muito intenso também causa dor e pode danificar os tecidos da pele. Nesta técnica é fundamental que haja comunicação e confiança mútua, descontração e muito lubrificante. As unhas devem estar cortadas e limpas, sendo aconselhável usar uma luva de látex, bem lubrificada, na mão que é introduzida. Além de o látex tornar a entrada mais suave, funciona como uma barreira de protecção que impede a transmissão de doenças. No caso de fisting vaginal, deve ser utilizado um lubrificante à base de água porque não irrita a pele, no caso de anal pode ser um lubrificante mais oleoso o à base de silicone, para que seja mais duradouro. Embora os lubrificantes oleosos danifiquem o látex as luvas são mais resistentes do que os preservativos. Antes de por esta técnica em prática é fundamental que ambos os parceiros estejam absolutamente descontraídos, e a pessoa que penetra a outra deve começar suavemente por introduzir os dedos, gradualmente e sem pressas. Quando os dedos estiverem introduzidos, devem enrolar suavemente até o punho fechar, enquanto a mão é introduzida também. Quando toda a mão estiver dentro da vagina ou do ânus, a pessoa que faz a penetração pode abri-la e fechá-la suavemente, como se estivesse a apertar uma bola antistress, para estimular a outra pessoa. Durante todo este processo é fundamental que haja uma boa comunicação entre os parceiros para evitar a dor, e tudo deve ser feito com calma e muita suavidade.

Clítoris inchado

 

 

Tenho 17 anos e cada vez que eu e o meu namorado curtimos ele toca-me no clítoris, mas eu nunca atinjo o orgasmo, o problema é que passados alguns dias este ainda está inchado e dói-me. O que será que devo fazer?

 

Margarida, Alcácer do Sal

 

Cara leitora,

Quando as mulheres estão sexualmente excitadas dá-se um aumento da circulação sanguínea na zona genital, e algumas mulheres atingem o orgasmo e outras não. No seu caso, a leitora fica excitada mas acaba por não atingir o orgasmo, o que se deve à sua pouca idade e inexperiência sexual. Por isso não se preocupe pois uma vez que conheça melhor o seu corpo, vai ver que se tornará mais fácil sentir prazer sexual. Quanto ao inchaço do seu clítoris este deve ser devido a um excesso de estimulação por parte do seu namorado, por isso fale com ele para que a estimule de forma mais gentil e durante menos tempo. Experimente também utilizar um gel lubrificante durante a masturbação mutua, ou experimente guiar a mão do seu namorado, para que ele saiba onde e de que forma a deve tocar sem causar desconforto.