Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Os antidepressivos acabam com o prazer?

seks.jpg

 

"Tenho 38 anos e embora a minha vida sexual sempre tenha sido boa noto algumas alterações ultimamente que me estão a deixar preocupada. Passei por uma depressão há pouco tempo e como ainda estou a tomar antidepressivos gostava de saber se são eles os responsáveis pela diminuição do prazer que sinto".

Cátia - Lisboa

 

Cara leitora,

Alguns antidepressivos, bem como medicamentos para a redução da ansiedade, têm como efeito secundário a diminuição do interesse sexual e dificuldade em atingir o orgasmo. Medicamentos como o Prozac ou Zoloft são notórios neste âmbito. O antidepressivo que está no mercado e que tem tido menos efeitos secundários a nível sexual e o Zoloft. É bem provável que pelo facto de estar a ser medicada com antidepressivos o seu desempenho sexual tenha sido afetado. Converse com o seu médico a respeito do que tem sentido, e se achar necessário peça que lhe receite outro antidepressivo que tenha menos efeitos secundários, ou que altere a dose da medicação que está a tomar.

Chocolate: o rei dos afrodisíacos

Chocolate-City.jpg

 

O chocolate é considerado como o rei da comida em todo o mundo. Quimicamente, e culináriamente, o chocolate é um dos alimentos mais mágicos e tem sido considerado por muitos como a "comida dos deuses", já foi usado como dinheiro, valorizado na medicina e, acima de tudo, considerado como um poderoso afrodisíaco. Poucos alimentos além do chocolate são tão misteriosos e têm um efeito químico tão poderoso para o cérebro e corpo. Não só porque os químicos neuroativos do chocolate produzem uma sensação de bem estar, mas também porque a perfeita combinação do doce e da gordura encontradas no chocolate (um bombom de chocolate tem 50% de açúcar e 50% de gordura) estimulam os pontos de prazer e a produção de endorfinas no cérebro. Os hidratos de carbono encontrados num bombom de chocolate também aumentam os níveis de seratonina no cérebro, um químico que eleva e estabiliza o estado de humor.

 

Soufflé de chocolate com molho de framboesas

Molho de framboesa

Prepare este molho um dia antes de se comer a sobremesa.

- 1 Xícara de framboesas frescas

- ½ Xícara de açúcar

- 1 Colher de sopa de sumo de limão

- 1 Colher de sopa de cognac

- 1 Colher de sopa de fécula de batata

Misture as framboesas com açúcar e leve ao lume até começar a ferver. Passe as framboesas por um passador para remover as sementes. Ponha mais açúcar se precisar. Bata a fécula de batata com o sumo de limão e o cognac. Ponha a ferver o creme de framboesa e misture com o preparado de fécula e deixe cozinhar até ficar espesso. Deixe arrefecer e use-o em qualquer sobremesa, fruta ou qualquer parte do corpo. Mantém-se no frigorífico por duas semanas.


Soufflé de Chocolate

- 150 gr. de chocolate de culinária

- 3 Gemas de ovos

- 3 Claras

- 1 Colher de sopa de margarina

- 1 Colher de sopa de farinha de trigo

- 2,5 dl de leite

- 4 Colheres de sopa de açúcar

- Açúcar em pó para polvilhar no fim

- Framboesas

Misture um pouco do leite com a farinha. Ferva o resto do leite com o açúcar. Derreta o chocolate em banho-maria, junte o leite morno e o leite com a farinha. Mexa tudo muito bem. Ponha em lume brando a preparação do chocolate e da farinha até engrossar e ferver. Retire do lume e ponha por cima a margarina em pedaços.

Num outro recipiente, bata as claras em castelo, de modo a que fiquem bem firmes. Junte as gemas ao creme de chocolate, misture bem e vá juntando as claras em castelo, misturando tudo muito bem, sem usar a batedeira.

Unte bem com margarina a forma de soufflé. Deite então na forma e ponha a cozer durante aproximadamente 30 minutos. No fim deite o molho de framboesa e polvilhe com o açúcar em pó.

Brincadeiras anais

o-COUPLE-SEX-facebook.jpg

 

Ao contrário dos homens, que fantasiam muito com o sexo anal, a maioria das mulheres tem um certo receio desta prática. O principal medo é de sentirem dor, o que é uma preocupação comum e justificável, já que o sexo anal pode causar algum desconforto. No entanto, seguindo algumas dicas é possível gostar, e muito, de sexo anal.

 

O ânus possui uma musculatura para expelir, e por isso com o medo e ansiedade os músculos vão contrair, o que por sua vez, pode causar a dor no sexo anal. Quando feita com cuidado e descontração dos músculos, a prática pode dar muito prazer a quem penetra, mas tambem para quem é penetrado. Existe uma rede bastante extensa de nervos que proporcionam bastante prazer e que podem ser estimulados internamente através da penetração anal, tanto no homem como na mulher.

 

A fantasia, o envolvimento e o toque simultâneo noutras áreas erógenas e no clitóris são capazes de dar ainda maior prazer e existem alguns truques que ajudam a diminuir o incómodo. Contudo, nem todas pessoas sentem prazer com o sexo anal e isso deve ser respeitado. Submeter-se porque é um fetiche do companheiro não é saudável para o casal.

 

A prática sexual só é boa se oferecer prazer aos dois. Assim, o mais importante é a mulher estar decidida a chegar a esse nível de envolvimento, livre de tensão, e, depois, contar com a ajuda do parceiro para ir com bastante calma e conseguir tirar o máximo prazer do sexo anal.

“Tenho dificuldade em ter orgasmos…”

“Tenho 35 anos e sempre tive dificuldade em conseguir atingir o orgasmo, algo que sempre prejudicou a minha vida sexual porque me deixa tímida e incomodada. Nunca consegui ter aquele prazer de que as minhas amigas falam nem como se vê nos filmes e na televisão. Serei a única?”

 

Paula, Alverca

 

Cara leitora,

Muitas mulheres sentem dificuldade em atingir o orgasmo, quer seja com um parceiro ou sozinhas enquanto se masturbam. A vergonha em tocar o seu corpo ou alguns medos desconhecidos são apenas duas das muitas causas possíveis para este problema que afeta mais mulheres do que pensa, ao contrário do que os filmes e meios de comunicação costumam mostrar. Para tentar encontrar a razão para o seu problema, pense acerca da sua vida sexual. Costuma estar mais concentrada nos seus pensamentos do que nas suas sensações? O facto de se distrair a pensar noutras coisas, a preocupação constante em ter um orgasmo, pensar no que o parceiro estará ou não a pensar são fatores que contribuem para que se afaste do clímax. A preocupação em ter um orgasmo cria pressão que faz com que seja mais difícil atingi-lo. Por outro lado, se tiver receio de pedir ao seu par que a estimule de determinada maneira isso irá inibi-la, ao mesmo tempo que estar preocupada em ter um orgasmo para não desapontar o seu par também é algo que a poderá impedir. A relação entre o casal é, também, fundamental. O corpo da mulher precisa de maior tempo de preliminares do que o homem, pelo que avançar rapidamente pode fazer com que o seu corpo não esteja suficientemente relaxado, tornando o orgasmo mais difícil de alcançar.

 

Massagem Erótica

shiatsu.jpg

 

O tato é uma forma de comunicação simples e eloquente – terapêutica, confortante e essencial. As massagens eróticas são íntimas e relaxantes e são capazes de despertar novas sensações nos casais. Esta prática sensual é uma forma de transmitir a paixão através do tato, estimulando zonas erógenas que dão prazer e estimulam os sentidos para o ato sexual.

 

A massagem pode ser usada por diversas razões: para reduzir o stress, para reduzir as dores ou libertar a tensão, para melhorar a circulação, etc. Tudo isto pode afectar positivamente a sua vida sexual. Muitos casais gostam de praticar a massagem erótica como um aquecimento para o ato sexual em si, outros gostam de a praticar no fim de um encontro sexual. Qualquer que seja a sua preferência, pode beneficiar da massagem erótica para apreciar o toque suave das mãos do seu parceiro e elevar o prazer.

 

A Massagem erótica não tem regras

Prepare o ambiente com a temperatura adequada, velas aromáticas, música calma e relaxante e, para quem gostar, incenso. Desligue os telemóveis e verifique que não será interrompida. A melhor massagem erótica é aquela que é idealizada pelo casal, por isso a massagem erótica não tem regras.

 

Esta prática serve também como um ingrediente a mais para sair da rotina sexual. Os movimentos devem ser livres e feitos em conjunto com uma estimulação mais íntima, nas regiões de maior sensibilidade de cada um. O importante mesmo neste caso em que a massagem é feita pelo casal é soltar a imaginação, utilizar o toque dos cabelos, dos seios, experimentar as várias texturas do corpo e de tecidos como a seda.

 

Exemplo de uma massagem erótica para fazer ao seu companheiro:

1- Com o seu companheiro deitado, aplique óleo de amêndoas doces ou outro óleo mais afrodisiaco no corpo dele e espalhe.

2- Com o seu companheiro deitado de barriga para baixo, faça movimentos circulares rápidos mas de intensidade média por toda a extensão do corpo, incluindo pernas, braços, costas e nádegas.

3 – De seguida, pressione a região do cóccix com os polegares, deslizando do centro da cervical para fora. Suba com o mesmo movimento até às omoplatas, contornando-as.

4 – Faça o mesmo movimento partindo da nuca para a região da clavícula.

5 –Utilize a ponta dos dedos, para além de outras partes do corpo para toques leves. Beijos e abraços também facilitam o relaxamento.

6 – Com ele deitado de frente, comece por massajar o rosto e a cabeça. Pressione o polegar a partir do centro da testa, deslizando no contorno das sobrancelhas até à base do maxilar, unindo as mãos novamente no queixo. Repita o movimento, partindo do orifício lacrimal.

7 – Estimule a região do peito e do abdómen com movimentos circulares. Mantenha a mesma movimentação na região das pernas, principalmente na parte interna das coxas e no músculo da panturrilha.

8 – Nos pés, faça movimentos de sobe e desce com os dedos da mão entrelaçados aos dedos do pé do parceiro e utilizando a palma da mão para massajar também a sola do pé.

9 – Repita todos os movimentos aleatoriamente. Estes movimentos também podem ser aplicados na massagem erótica na mulher.

“O que são esferas anais?”

 

“Tenho uma vida sexual ativa com o meu marido e ambos gostamos de dinamizar a relação e experimentar novidades, pelo que consultamos várias páginas da Internet relacionadas com o assunto. Encontrámos esferas anais e gostávamos de as experimentar, mas não sabemos exatamente de que se trata ou para que servem, será que pode esclarecer-nos?”

 

Teresa, Seixal

 

Cara leitora,

As esferas anais são um brinquedo sexual para mulheres e homens, que podem ser usados a sós ou na companhia do parceiro, sendo uteis para a iniciação ao sexo anal. Consistem em pequenas esferas feitas de um material macio como silicone ou plástico, que se assemelham a uma espécie de colar de pérolas já que estão unidas por um fio de nylon ou e outro material resistente. Enquanto algumas têm um toque mais macio, outras podem texturas. Inserem-se uma a uma no ânus, suavemente, podendo ser puxadas para fora pelo fio no momento do orgasmo, ou em qualquer outra altura. Podem ter tamanhos diferentes, devendo começar-se por usar esferas mais pequenas para ir então progressivamente aumentando de tamanho, pois para algumas pessoas as esferas maiores proporcionam uma maior excitação e intensidade de prazer, pois como o ânus tem muitas terminações nervosas o contato com as esferas pode provocar sensações muito intensas, tanto quando são introduzidas como no momento em que são retiradas. Tenham sempre em conta que o uso de lubrificante é muito importante no sexo anal, para evitar romper tecidos que são muito sensíveis. Como todos os brinquedos sexuais, deverá também ter os devidos cuidados de higiene e limpeza com as suas esferas anais.

 

“Sexo anal sem dor…”

“Eu e o meu namorado, por várias vezes, já fizemos sexo anal e devo confessar que até gosto da experiência. O único inconveniente é que sinto algumas dores. Como devo contornar esta situação?

 

Alexandra, Lisboa

Cara Leitora,

Existem inúmeras formas de obter uma relação sexual mais prazerosa e menos dolorosa. Deve ter sempre em conta que sexo deve ser sinónimo de prazer e não de dor. 

Para que possa ter uma relação menos dolorosa, deve evitar estar tensa, pois desta forma facilitará a contração da musculatura tornando este ato mais difícil.

A região do ânus por ser rica em terminações nervosas e sensível às carícias torna-se, por excelência, uma zona que permite a excitação e obtenção plena de prazer.

De forma a diminuir as dores durante o sexo anal, deve apostar nos preliminares para que possa ser estimulada até à excitação e usar lubrificantes, pois o ânus não produz uma lubrificação natural tal como a vagina.

 

“O que é um 69?”

“O meu namorado quer variar as nossas actividades sexuais e quer praticar um 69. Eu acho que isso é tipo sexo oral, é verdade?”

 

 

Cara leitora:

Esse termo designa duas pessoas a fazerem sexo oral ao mesmo tempo uma à outra. Quando duas pessoas praticam esta actividade em ficam de cabeça para os pés um do outro, pode parecer o numero 69. Aproveite esta oportunidade de dar e receber prazer ao mesmo tempo.

 

Sexo oral à la carte

lips-mouth-saliva-tongue-2525380-1920x1200.jpg

 

"Dar um linguado"… nos lábios vaginais. Peça ao seu mais-que-tudo que repita "em baixo" exatamente o mesmo que faz com a sua boca…

 

Dentadinhas de amor - com muito cuidado para não aleijar, umas dentadinhas aqui e ali – ao de leve – podem surtir resultados inesperados.

 

"Cornetto de amor" - peça-lhe que imagine que está a comer um cornetto e que a sua língua reproduza os mesmos movimentos de quando está a lamber o fundo do cone de bolacha…

 

Variações de ritmo - quer seja ao lamber, quer seja ao chupar, as diferenças de intensidade e de ritmo provocam espasmos de prazer.

 

Quente e frio - soprar ar quente, afastar-se da entrada da vagina e soprar ar frio.

 

Borboletas e esquimós - o leve roçar das pestanas dele e os famosos "beijos de esquimó" – em que o nariz esfrega levemente a pele – causam calafrios muito agradáveis. Com a língua, entra e sai da vagina ou da parte interior dos lábios, "penetrando-a".

“Quero fazer sexo anal!”

 

 “Sempre tive o desejo de experimentar fazer sexo anal, mas tenho algum medo de o dizer à minha namorada pois acho que ela não vai aceitar muito bem esta ideia. Como devo abordar o assunto?”

 

Ricardo, Vila Franca de Xira

 

Caro Leitor,

 O sexo anal é um tabu para a grande parte das mulheres. Deve falar sobre esse assunto de forma cuidadosa sem que a sua namorada se sinta obrigada a concordar. Exponha-lhe a sua fantasia dando sempre a entender que não ficará magoado se ela lho negar, mesmo que até fique um pouco desapontado. Assegure-lhe que não a forçará a nada e que se decidirem fazê-lo, parará se ela assim o pedir. Caso a sua namorada concorde com a prática, não se esqueça do lubrificante, que é fundamental nesta situação!