Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Quais são as DST?”

 

Iniciei a minha vida sexual há pouco tempo, e apesar de utilizar preservativo estou preocupado. Gostava de saber exactamente quais são as Doenças Sexualmente Transmissíveis mais comuns, para além da SIDA.
Mário, Montemor-o-Novo
 
 
Caro Leitor,
Efectivamente a SIDA é a doença que mais é divulgada, no momento, como antes tinha sido a Sífilis. Quando diagnosticada e tratada em tempo útil, pode evitar-se o contágio de qualquer DST a outras pessoas, e consequentes problemas de saúde. Os sintomas de qualquer DST são, em alguns casos, difíceis de detectar, assim deverá ser efectuado sempre o rastreio ao nível da saúde sexual, mesmo se não evidenciar qualquer sintoma. Se por acaso pensar que foi infectado, o melhor será dirigir-se ao médico, pois não deverá deixar uma infecção destas por tratar, correndo o risco de originar mais problemas e complicações. As DST que se verificam com maior frequência são: o HIV, que conduz à SIDA; as Verrugas Genitais, pequenos e duros inchaços que aparecem junto aos órgãos genitais; o Herpes Genital, semelhante ao cieiro habitual da boca e dos lábios; a Gonorreia que, tanto em homens como em mulheres, poderá ser evidenciada por sensação de ardor ao urinar, só se trata com penicilina; a Sífilis a qual deverá ser detectada logo na fase inicial, pois poderá afectar a saúde de todo o organismo podendo mesmo levar à morte; a Clamídia ou Uretite não específica, na qual os sintomas são semelhantes aos da Gonorreia; a Tricomoníase que é causada por um parasita e que provoca infecções do tracto urinário; a Pediculose Púbica que é causada por piolhos, os quais provocam uma comichão intensa na zona púbica; a Vaginite que, geralmente, é causada por uma bactéria devido à falta de higiene adequada da mulher. Como tal, deverá estar atento a quaisquer sinais fora do normal, tanto em si como no seu parceiro, de modo a que sejam tratados na fase inicial. Claro está que a melhor técnica a adoptar será o sexo seguro, isto é, cada vez que tiver relações sexuais, o melhor caminho para a prevenção será o uso regular do preservativo.

“ A SIDA é uma doença sexualmente transmissível. Que outras doenças desse tipo existem?”

Tenho algumas dúvidas sobre as Doenças Sexualmente Transmissíveis, isto porque a que mais é divulgada é a SIDA. Quantas existem e quais são as que se manifestam com maior frequência?

 

Anabela, Barreiro

 

 

Cara leitora,

 

Efectivamente a SIDA é considerada a mais dominante de todas as DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis) no momento, como antes tinha
sido a Sífilis. Qualquer DST, quando diagnosticada e tratada em tempo útil, pode evitar o contágio a outras pessoas / parceiros, e consequentes problemasde saúde. Os sintomas das DST são, em alguns casos, difíceis de detectar e por esta razão deverá ser efectuado sempre o rastreio ao nível da saúde sexual, mesmo se não evidenciar qualquer sintoma. Se achar, por qualquer razão, que foi infectada, o melhor será dirigir-se ao médico, pois não deverá deixar uma infecção destas por tratar, correndo o risco de originar mais problemas e complicações. As DST que se verificam com maior frequência são: o HIV, que conduz à SIDA; as Verrugas Genitais, pequenos e duros inchaços que aparecem junto aos órgãos genitais; o Herpes Genital, semelhante ao cieiro habitual da boca e dos lábios; a Gonorreia que, tanto em homens como em mulheres, poderá ser evidenciada por sensação de ardor ao urinar, sendo unicamente tratada com penicilina; a Sífilis, a qual deverá ser detectada logo na fase inicial, pois poderá afectar a saúde de todo o organismo podendo até mesmo levar à morte; a Clamídia ou Uretite não específica, em que os sintomas são semelhantes aos da Gonorreia; a Tricomoníase, causada por um parasita e que provoca infecções do tracto urinário; a Pediculose Púbica que é causada por piolhos, os quais provocam uma comichão intensa na zona púbica; a Vaginite que, geralmente, é causada por uma bactéria devido à falta de higiene adequada da mulher. Como tal, deverá estar atenta a quaisquer sinais fora do normal, tanto em si como no seu parceiro, de modo a que sejam tratados na fase inicial. Claro está que a melhor técnica a adoptar será o sexo seguro, isto é, cada vez que tiver relações sexuais, o melhor caminho para a prevenção será o uso regular do preservativo.

Colocação do preservativo

 

 

 

Tenho 22 anos e uma vida sexual activa com algumas mulheres diferentes. Sou estudante universitário e, por enquanto, ainda não me apaixonei ao ponto de querer ficar com uma só. O meu problema é que tenho dificuldades em colocar o preservativo (atrapalho-me e perco a erecção) e começo a ter medo de apanhar alguma coisa com alguma delas. O que posso fazer?

 

Mário

 

Caro Mário,

 

É normal atrapalhar-se com a colocação do preservativo na relação sexual. Se não estiver habituado e à vontade com a parceira ou parceiro, pode ser difícil até mesmo tirá-lo da carteira. Como tem várias parcerias sexuais seria realmente conveniente, para a sua própria saúde e a delas, protegerem-se das infecções sexualmente transmissíveis e de gravidezes indesejadas.

Experimente sozinho colocar o preservativo e masturbar-se com ele – assim ganhará confiança em si e irá habituar-se melhor à sensibilidade diferente do preservativo.

Leia sobre a correcta colocação deste método, pois há vários passos a ter em conta:

 

1) Verifique antes do encontro o estado da embalagem, a data de validade e se tem certificado de qualidade de Comunidade Europeia, que garante que está em boas condições;

 

2) Quando tiver uma erecção satisfatória e antes de qualquer contacto genital, abra a embalagem exterior do preservativo, sem utilizar os dentes, tesouras, unhas ou algo afiado (pode empurrar o preservativo para um dos lados da embalagem);

 

3) Com três dedos (polegar, indicador e médio) agarre a ponta/recipiente do preservativo, para haver espaço para onde o esperma sair.

 

4) Logo depois de ejacular, retire o preservativo a partir da base do seu pénis, para que não permita que saia algum sémen para a zona genital vaginal, dê um nó, embrulhe em papel e deite num caixote do lixo.

 

Se seguir estas regras e apenas utilizar lubrificante adicional à base de água e nunca à base de óleo, a eficácia na protecção dos riscos sexuais é de 95%. Há alguns pormenores que pode pesquisar para que se sinta melhor, como adicionar lubrificante dentro do preservativo.

Pratique sozinho e arrisque com alguma audácia, pense antecipadamente em frases para lhes pedir para o colocar – as suas parceiras irão achar graça e ficarão também mais seguras e desinibidas! Não se esqueça que existem em vários formatos, cores, sabores…Descubra qual é o melhor para si!

Pílula e Preservativo

Tenho uma pequena dúvida relacionada com gravidez. Eu faço contracepção e o meu namorado usa quase sempre preservativo. Acabei a caixa da pílula no domingo e a minha menstruação costuma vir na quarta feira seguinte e dura 4 a 5 dias.

Mas uma colega minha engravidou e disse que a sua menstruação veio normalmente ate ao 4º mês.Tenho medo de engravidar ou até mesmo de estar grávida... Será possível continuar a menstruar normalmente e estar grávida?
 

 

Alexia

 

Cara Alexia,
 
Como toma anticoncepcional e utiliza preservativo NÃO tem razões para se preocupar. Tem de fazer as tomas cuidadosamente: à mesma hora diariamente, não tomar medicamentos sem confirmar se interferem com a pílula, se vomitar ou tiver diarreias use sempre o preservativo. Reveja a colocação correcta do preservativo (http://consultoriosexologia.blogs.sapo.pt/tag/coloca%C3%A7%C3%A3o+correcta+preservativo) e não se preocupe demasiado com a gravidez indesejada, pois tal irá prejudicar o seu prazer com a sua sexualidade.
Em resposta à sua questão: é possível ter ligeiras perdas de sangue e já estar grávida, mas é muito raro e haverá outros sintomas da gravidez que a alertarão para a possibilidade de gravidez (seios sensíveis, apetite alterado, sono); por isso não deve dar demasiada importância a tal.
Repare que para calcular o seu período fértil não importa quantos dias tem de menstruação, mas sim o primeiro dia, para saber quantos dias dura é o seu ciclo. Anote durante uns meses num calendário ou numa agenda e faça as contas de quando será o seu intervalo fértil. Neste site pode fazer facilmente as contas: www.sexualidades.com
Poderá utilizar sempre preservativo nesses dias, para ficar mais segura. A protecção dupla (contracepção hormonal e preservativo) é extremamente eficaz e deve deixá-la segura e livre para sentir o prazer.

"O preservativo rompeu-se!”

Ontem à noite fiz amor com o meu namorado mas tivemos um azar o preservativo rompeu-se e só reparamos que este estava roto no fim da relação. O que devo fazer?”

Carla, Arruda dos Vinhos

 

Cara leitora:

Fique calma, pois o que aconteceu consigo já aconteceu com milhares de pessoas. Felizmente existe a pílula do dia seguinte que não deve de forma alguma ser tomada de maneira regular. Deve apenas ser tomada numa situação de emergência como a sua. Esta pílula poderá ser adquirida mediante receita médica em qualquer farmácia, tome atenção às indicações e posologia do medicamento. Continue a usar o preservativo pois este protege-a de doenças transmitidas sexualmente, mas visto que uma gravidez não é desejada, aconselho-a a visitar o seu ginecologista e começar a tomar a pílula, pois o seguro morreu de velho! 

 

 

"Posso usar o creme retardante com o preservativo?"

Tenho 27 anos e, segundo a minha namorada, cada vez que tenho relações ejaculo depressa demais. Gostaria de experimentar usar um creme retardante, mas será que o posso utilizar com o preservativo sem que este perca o efeito?”

 

Gustavo, Alhandra

 

 

 

Caro leitor,

 

O creme a que o leitor se refere é um creme retardante que contém uma pequena percentagem de um produto chamado Lydacane ou Benzocaina, que possuem qualidades analgésicas. Estas substâncias, quando em contacto directo com a pele, causam uma sensação de adormecimento, fazendo com que a pessoa perca alguma da sensibilidade ao tacto na zona onde este foi aplicado. Por se tratar de um analgésico, estes produtos devem ser utilizados em pequenas quantidades para evitar o adormecimento total do pénis ou perda de erecção. Uma vez que o efeito desejado é a diminuição da sensibilidade do homem e não da mulher, é aconselhável a colocação do preservativo antes da penetração, o que não deve danificar o preservativo.

 

 

Pílula e Preservativo

Tive relações sem preservativo, embora usando a pílula, estou com receio, pois tenho o peito e a barriga inchada, mas neste momento estou com o período, só que pouco e acastanhado. Será que estou grávida???
Alice
 
Cara Alice,
É possível estar grávida e ter menstruação, ou seja, ter perdas de sangue que são confundidas com menstruação: 25% das mulheres grávidas tem o que se pode chamar de “sangramento de implantação”, e muitas delas confundem esse corrimento sanguíneo com a menstruação, e por isso não descobrem que estão grávidas até vários meses após a fecundação.
No entanto, como refere ter usado a pílula, mesmo que tenha sido na semana de pausa, a eficácia contraceptiva é grande, superior a 95%, portanto não se deve preocupar. Se quiser tirar as dúvidas, dado que ter o peito e a barriga inchados (o que são igualmente sintomas de menstruação apenas e, em alguns casos, de gravidez).
Lembre-se que utilizar a pílula e o preservativo (a contracepção dupla), para além de ser mais eficaz em relação a gravidezes indesejadas protege-a igualmente das infecções sexualmente transmissíveis.

 

“Como ponho o preservativo?”

“Vou começar a ter relações com a minha namorada e gostava de saber como ponho o preservativo...”

 

 

Caro leitor:

Deverá seguir as indicações dadas na caixa do preservativo.

Aqui ficam algumas indicações: retire o preservativo da caixa cuidadosamente, tenho cuidado com as unhas afiadas ou falhadas. Quando estiver com o pénis erecto desenrole o preservativo sobre o pénis tendo o cuidado de não deixar ar lá dentro, e deixe espaço para o deposito. O preservativo só serve para uma vez.

Tema de hoje: Erecção e excitação

 

Cada vez que eu e o meu namorado vamos ter relações sexuais, ele chega ao momento e nunca consegue. Antes de colocarmos o preservativo ele está sempre erecto mas quando ponho o preservativo lá se vai a erecção...já é a terceira vez...será que não lhe dou excitação suficiente ou terá algum problema?
Geraldina
 
Cara Geraldina,
 
Não interprete as dificuldades do seu namorado como um defeito seu. A prova de que a Geraldina o excita muito é a de que ele tem erecção antes de tentarem a penetração. A ansiedade de lhe querer agradar e dar prazer, e outros factores que desconheço (medo de falhar, falta de experiência sexual, medo de uma gravidez indesejada, entre outras possibilidades) levam a que sinta ansiedade em vez de prazer, ao tentar a penetração e, como tal, entra num ciclo vicioso e perde a erecção.
Aconselhe-o a colocar o preservativo sozinho, fora das relações sexuais, na masturbação, para que se habitue a ele. Como a colocação requer algum cuidado pode ser isso que o está a inibir no momento da penetração e todos os homens precisam de prática. Não deixem de utilizar um método contraceptivo, pois a ansiedade não é amiga da excitação e do prazer, pelo que essa preocupação deve estar para trás das costas.
Tente acompanhá-lo a sair desse ciclo vicioso voltando à estimulação, não o deixando sozinho nem a parar de fazer amor por não terem conseguido a penetração, voltar a tentar sem o fazer sentir-se pressionado. Seja criativa no modo de lhe mostrar que a erecção não é o mais importante para o prazer que vocês podem tirar da sexualidade um do outro.

Tenho 18 anos e perco a ereção!

erectile-dysfunction-treatment.jpg

Tenho 18 anos, e estou a tentar começar uma vida sexualmente ativa com a minha namorada. O problema é que perco completamente a ereção durante os preliminares, não conseguindo recuperá-la. Tentámos por duas vezes, e eu perdi sempre a erecção. O que posso fazer?

Francisco, Tomar

 

Caro leitor,

Dada a sua idade, acredito que a causa destas dificuldades tenham causas psicológicas – o leitor parece ter entrado num ciclo vicioso, depois de uma experiência que correu mal, começou a sentir ansiedade de antecipação e a ficar preocupado com isso, o que influencia muito as relações sexuais seguintes, de modo negativo. É muito normal que a primeira vez que tente fique preocupado se vai conseguir, se vai agradar à sua namorada, só o nervosismo de ser a primeira é suficiente para que surjam dificuldades. Mas não diga que não consegue recuperar a ereção, pois se a estimulação continuar e mantiver um espírito positivo, dizendo a si mesmo que é normal perder-se uma ereção, outras se seguirão certamente.

Provavelmente, quando chega a hora de tentar a penetração, o seu corpo e mente estão num modo que não é sexual mas ansiogénico, mergulhados em preocupações e a sentir muito menos o prazer. É muito importante que perceba este ciclo vicioso e o consiga cortar: Relaxe, não desista de ter relações sexuais só porque perdeu aquela ereção, pois se continuar a estimulação outras se seguirão certamente; ganhe confiança com a sua parceira sexual, para que ela seja paciente e o faça se sinta à vontade; treine a colocação e utilização do preservativo na masturbação; experimente comprar anéis penianos numa sex-shop, que o podem ajudar ligeiramente a aguentar o afluxo de sangue no pénis…