Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Não consegui fazer amor com ela!”

“Sinto-me bastante preocupado com uma coisa que me aconteceu recentemente. Tenho 26 anos e nunca tive problemas com a erecção, porém há duas semanas saí com uma pessoa com quem namoro e não consegui fazer sexo. E o que mais me deixou perplexo é que eu já tive relações com ela. Porque é que isto sucedeu?”

Rui, Coimbra

 

Caro leitor,

Não se preocupe com o sucedido, pois o seu problema parece ter surgido por factores de uma situação pontual, ou momentânea – como refere ter saído, pode ter tido essas dificuldades por ter bebido álcool, estar cansado devido ao trabalho, ou mesmo por ter alguma preocupação a atormentá-lo.

Tente não entrar num ciclo vicioso, pois quando sente que uma experiência corre mal, pode começar a sentir ansiedade de antecipação e ficar preocupado com isso, o que influencia muito a próxima relação sexual, de modo negativo.

Um homem não tem de querer e desejar relações sexuais a toda a hora: pode estar bem com a sua parceira, mas não lhe apetecer naquele momento e, por isso, o seu cérebro e o seu corpo não responderem aos estímulos de prazer.

Tente abstrair-se de problemas e não pensar nessa única vez em que as coisas não correram como gostaria, tente relaxar, não partir logo para a penetração mas demorar-se nas carícias, sentir o corpo da outra pessoa e o prazer e satisfação que lhe pode oferecer, descobrir as suas zonas erógenas preferidas…

Se o problema persistir, pense em consultar um médico especialista ou um sexólogo/a, para que não deixe esta pequena dificuldade crescer em bola de neve na sua vida.

"Nunca mais atinjo o orgasmo!"

Worried man in the office by Wavebreakmedia | VideoHive

"Ao contrário de muitos homens que sofrem de ejaculação precoce ou impotência, eu tenho o problema inverso: mantenho um grau de excitação muito elevado durante muito tempo, o que faz com que demore mesmo muito tempo até conseguir atingir o orgasmo, o que é esgotante para a minha companheira. O que posso fazer?"

Tiago, Lisboa

 

Caro leitor,

Atingir o orgasmo é o objetivo que a maior parte das pessoas tem em mente quando tem relações sexuais. Contudo, por vezes o facto de estar tão concentrado em atingir o orgasmo acaba por fazer com que seja mais difícil alcançá-lo. Desfrutar das sensações e concentrar-se única e exclusivamente no momento ajuda, mas algumas pessoas têm dificuldade ou incapacidade em alcançar o orgasmo, devido a fatores fisiológicos ou psicológicos. Manter a excitação durante muito tempo, mas sem conseguir chegar ao clímax, pode também ser um efeito secundário de algum medicamento, como por exemplo os antidepressivos. Consegue atingir o orgasmo mais rapidamente quando se masturba? No caso dos homens, a medicação que tomam pode impedir a ereção, ou mesmo o orgasmo. Se está a tomar algum tipo de medicamento, converse com o seu médico a fim de avaliar se pode ter ou não interferência no seu desempenho sexual. As drogas, como por exemplo a cocaína, também interferem no orgasmo, por isso se experimentou esta dificuldade após ter consumido alguma droga tal pode ter afetado o seu desempenho. É importante distinguir se consegue atingir o orgasmo enquanto se masturba, para perceber se a dificuldade que sente pode ter a ver com ansiedade, com a parceira ou com outros fatores psicológicos, que deverá analisar com um terapeuta que avalie personalizadamente o seu caso.

“Erecção involuntária”

“Tenho 21 anos e nunca tive nenhuma relação sexual. No entanto, comecei a sair com uma rapariga de quem gosto muito e sempre que estamos juntos e temos algum contacto mais íntimo (beijos, carícias…)  involuntariamente sinto uma breve erecção, que passado uns 30 segundos volta ao normal. Quase sempre que isto acontece há uma pequena libertação de um líquido (penso que não seja esperma pois é incolor/transparente) através da uretra. Isto é muito embaraçoso para mim pois tenho receio de avançar com a relação para algo mais sério devido a esta situação.”

João, Albufeira

 

Caro leitor,

A resposta sexual humana tem várias fases: desejo, excitação, planalto, orgasmo e resolução. Nas situações sexuais podemos passar por algumas ou por todas estas fases: o que descreve são situações em que se sente excitado e, como tal, é muito natural que sinta pequenas erecções e libertação de lubrificante masculino, que não é bem sémen, mas contém já alguns espermatozóides. Não há razão para se sentir preocupado nem com vergonha – a sua namorada e amiga compreenderá que a resposta sexual masculina é diferente da feminina e que na vossa sexualidade há muito a descobrir!

Experimente ter relações sexuais, levem o tempo que for necessário para se sentirem confortáveis e íntimos um com o outro - não se trata só de penetração, mas de dar e de receber prazer - e façam uma consulta de planeamento familiar antes para utilizarem um método contraceptivo adequado e não terem a preocupação de uma gravidez indesejada a invadir o vosso prazer. Se quiser utilizar preservativo, que vos protege igualmente das infecções sexualmente transmissíveis, tente usá-lo sozinho na masturbação primeiro, para que se habitue a ele e seja mais fácil a sua utilização posterior na relação sexual.