Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Será que entrei na Andropausa?

andropausa.jpeg

Tenho 55 anos e ultimamente tenho notado diferenças a nível emocional e sexual, e por isso me pergunto se estarei a entrar na andropausa?

 José

Caro Leitor,

Da mesma forma que a menopausa provoca alterações no corpo e no comportamento das mulheres, a andropausa manifesta-se nos homens provocando oscilações a nível físico e psicológico. Na andropausa, os homens podem observar mudanças a nível do desempenho sexual, bem como algumas alterações físicas e psicológicas. A andropausa define-se pela diminuição do nível de testosterona no homem, resultando no enfraquecimento do desejo sexual, bem como na dificuldade em manter a erecção. Outros sintomas que podem ser resultantes da andropausa são a diminuição do nível de energia física e a depressão. Convém referir que esta não é uma regra básica, pois cada homem é um caso. Porém, se achar necessário aconselho-o a dissipar as suas dúvidas junto de um especialista.

 

Ejaculo com muita rapidez

impotenza2.jpg

 

"Quando tenho relações sexuais ejaculo muito rapidamente e não tenho a mesma reação sexual que tinha dantes. Isto aconteceu de um momento para o outro, mas tenho apenas 28 anos, o que me deixa muito assustado."

Manuel - Faro

 

Caro leitor,

Os problemas sexuais podem surgir repentinamente, depois de uma experiência que correu mal e que ficou marcada na memória. A ansiedade de antecipar o que pode voltar a acontecer pode levar a que aconteça o mesmo, pois está preocupado e menos dedicado a sentir prazer. Por outro lado, outros fatores podem influenciar a sua capacidade de ter relações sexuais e a penetração: ter um problema, estar cansado, ter bebido muito álcool. Tente abstrair-se de problemas, relaxar, não partir logo para a penetração mas demorar nas carícias, sentir o corpo da outra pessoa e o prazer e satisfação que lhe pode oferecer, descobrir as suas zonas erógenas preferidas… Apesar destas sugestões úteis, penso que deveria consultar um especialista, que lhe esclareça esta questão e lhe dê um apoio presencial, pois pode prevenir que este problema continue e o faça sentir-se cada vez pior consigo próprio e nas suas relações sexuais. Não tenha vergonha, a ejaculação precoce ou prematura é muito frequente em homens de muitas idades e tem tratamento.

Nunca tive problemas com a erecção, porém ...

Preciso da sua ajuda... Nunca tive problemas com a erecção, porém este sábado saí com a pessoa com quem estou há 3 meses e não consegui fazer sexo. E o que mais me deixou sem resposta é que eu já tive relação com ela. O que devo fazer?

 

Meu caro,

 

Os problemas sexuais podem surgir de repente por factores de uma situação pontual, momentânea, ou por factores pessoais – como refere ter saído, pode ter tido essas dificuldades por ter bebido álcool, estar cansado de trabalhar, ou mesmo ter uma preocupação a atormentá-lo. Tente não entrar num ciclo vicioso, pois quando sente que uma experiência corre mal, pode começar a sentir ansiedade de antecipação e ficar preocupado com isso, o que influencia muito a próxima relação sexual, de modo negativo.

Um homem não tem de querer e desejar relações sexuais a toda a hora: pode estar bem com a sua parceria, mas não lhe apetecer naquele momento e, por isso, o seu cérebro e o seu corpo não responderem aos estímulos de prazer.

Tente abstrair-se de problemas e não pensar nessa única vez em que não correu como gostaria, relaxar, não partir logo para a penetração mas demorar-se nas carícias, em sentir o corpo da outra pessoa e o prazer e satisfação que lhe pode oferecer, em descobrir as suas zonas erógenas preferidas…

Se o problema persistir, pense em consultar um médico especialista ou um sexólogo/a, para que não deixe esta pequena dificuldade crescer em bola de neve na sua vida.

 

blow-job1.jpg

 

 

Sou muito rápido!

 

“Quando tenho relações sexuais ejaculo muito rapidamente e não tenho a mesma reacção sexual que tinha dantes. Isto aconteceu de um momento para o outro, mas tenho apenas 28 anos, o que me deixa muito assustado. ”

 

Manuel, Faro

 

Caro leitor,

 

Os problemas sexuais podem surgir repentinamente, depois de uma experiência que correu mal e fica marcada na memória. A ansiedade de antecipar o que pode voltar a acontecer pode levar a que aconteça mesmo, pois está preocupado e menos dedicado a sentir prazer. Por outro lado, outros factores podem influenciar a sua capacidade de ter relações sexuais e a penetração: ter um problema, estar cansado, ter bebido muito álcool. Um médico de família ou um urologista podem pesquisar melhor se haverá causas fisiológicas para o seu problema.

Tente abstrair-se de problemas, relaxar, não partir logo para a penetração mas demorar nas carícias, sentir o corpo da outra pessoa e o prazer e satisfação que lhe pode oferecer, descobrir as suas zonas erógenas preferidas…

Seja realista na sua apreciação do tempo de ejaculação: uma relação sexual de penetração não dura tanto como se diz. Um estudo recente (da equipa de Eric Corty da Universidade de Penn State, que saiu no Journal of Sexual Medicine) refere que uma relação sexual ideal dura entre 3 e 13 minutos. Claro que se se sente insatisfeito com o tempo que dura a sua ejaculação, tem razões para procurar ajuda.

Experimente um produto retardante em pomada, que pode ser comprado numa sex-shop, para colocar na glande e fazê-lo perder um pouco a sensibilidade peniana. Pode também colocar um preservativo mais e tentar a masturbação com ele, antes de o colocar na relação sexual (pode inibi-lo e assim tem tempo de treinar sozinho até se sentir à vontade).

Apesar destas sugestões úteis, penso que deveria consultar um especialista, que lhe esclareça esta questão e lhe dê um apoio presencial, pois pode prevenir que este problema continue e o faça sentir-se cada vez pior consigo próprio e nas suas relações sexuais. Não tenha vergonha, a ejaculação precoce ou prematura é muito frequente em homens de muitas idades e tem tratamento! Boa sorte

Tema de hoje: Problemas Sexuais

Sydney Owenson

 

 

Olá, boa tarde,
estou casada há 20 dias mas sinto muitas dores quando ele tenta penetrar-me, ao ponto de nunca o deixar ir até ao final, sinto-me muito incomodada com isso porque quero muito dar prazer ao meu marido. O que posso fazer para não sentir tantas dores? Será que existe algum gel ou pomada que seja anestésica, para que eu não sinta essas dores?
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Sabrina
 
 
Cara Sabrina,
Antes de pensar num anestésico para as dores,  procure cuidadosamente as causas delas com um médico. Pode tratar-se de muitas coisas, desde apenas falta de excitação e lubrificação, por estarem a partir para a penetração rápido demais, até disfunções sexuais femininas, como o vaginismo ou a dispareunia. Deve consultar um/a ginecologista para ver se está tudo bem consigo a nível ginecológico e também iniciar uma terapia sexual presencial, para que consiga resolver os problemas da sua relação e das suas relações sexuais.
As disfunções sexuais femininas interferem muito nas relações íntimas, saiba que estes problemas acontecem a muitas mulheres e não deve deixar de tentar viver a sua sexualidade por estar agora a sentir isto. Por enquanto podem explorar outras formas de ter relações sexuais, não só através da penetração… Explorem as massagens, as carícias, a masturbação mútua, o sexo oral, os brinquedos eróticos… Usem a vossa imaginação para reinventarem a vossa sexualidade sem limites!
Tente pedir ao seu marido que a penetre aos poucos e de forma gentil, ou seja, sem colocar o pénis todo na vagina de uma vez, e à medida que ele for introduzindo o pénis a Sabrina deve controlar a profundidade e velocidade da penetração, deve também contrair e relaxar os músculos da vagina durante este exercício. Desta forma a Sabrina vai sentir mais controlo durante a penetração e vai acabar por descontrair, e por sua vez sentir mais prazer.
Aconselho também que explore o seu corpo através da masturbação, para que possa descobrir como gosta de ser tocada e o que lhe dá prazer, pois o primeiro passo para sentir prazer com um parceiro é ser capaz de o fazer sozinha.
Mas não deixe de procurar ajuda especializada, seria desejável fazer uma consulta presencial.
 

“Tenho dificuldade em ter ereções…”

 

Tenho 27 anos, e há alguns anos que tenho vindo a ter dificuldades em ter ereções. Não sofri nenhum acidente e não tomo medicação, mas a situação deixa-me muito preocupado e constrangido.”

 

Luís, Almada

 

Caro leitor,

De facto a situação que descreve pode causar bastante constrangimento e ansiedade num homem, o que pode ser a causa do seu problema. Nos homens a ansiedade afeta bastante a capacidade física do sangue em chegar ao pénis e manter-se nele o tempo suficiente para ter uma ereção. Outros fatores que afetam a qualidade das ereções são o tabaco, o álcool, haxixe, alguns remédios para a queda do cabelo, diabetes, problemas de coração, pressão arterial alta, o excesso de peso, falta de exercício físico regular (pelo menos 30 minutos 3 ou 4 vezes por semana), alimentação rica em gorduras, açucares e carbohidratos. Dessa forma, avalie o seu estilo de vida e veja se existem algumas alterações que possa fazer para melhorar a sua vida sexual. 

Dificuldades de erecção

(Flor Garduño)

 

O meu problema é que não consigo penetrar porque não consigo ter uma erecção completa. Já tentei 2 vezes com a minha namorada e das duas falhei.
Antes de penetrar ele está perfeitamente erecto mas quando chega ao momento ele perde algum vigor. Estou preocupado, já não sei o que fazer.
Aguardo alguma ajuda.
Muito obrigado
 
Pedro
 
Caro Pedro,
 
O seu caso parece tratar-se de disfunção eréctil: tal consiste um problema sexual masculino em que o pénis não consegue manter a erecção ao ponto de concretizar a penetração. Pode acontecer por razoes fisiológicas, psicológicas ou ambas.
A sua preocupação e ansiedade em relação a estas tentativas podem levar a que entre num ciclo vicioso, pois quando sente que uma experiência corre mal, pode começar a sentir ansiedade de antecipação e ficar preocupado com isso, o que influencia muito a próxima relação sexual, de modo negativo.
As erecções surgem, perdem-se e ganham-se – não têm de ser utilizadas para penetração – quando perder uma continue a fazer amor com a sua namorada, não dê importância aos sentimentos e emoções negativos, mas relaxe e sinta o corpo, descubra como lhe dar prazer, tenha pensamentos positivos e de que a erecção irá voltar.
É bastante saudável até que tenham algumas relações sem pensar em penetração, concentrando-se apenas em se abstrair de problemas, sem pensar nessa única vez em que as coisas não correram como gostaria, tente relaxar, não partir logo para a penetração mas demorar-se nas carícias, em sentir o corpo da outra pessoa e o prazer e satisfação que lhe pode oferecer, em descobrir as suas zonas erógenas preferidas…
 
Se o problema persistir, pense em consultar um médico especialista, para perceber se haverá causas fisiológicas a causar o problema ou um sexólogo/a, para que não deixe esta pequena dificuldade crescer em bola de neve na sua vida. Nós damos consultas em Lisboa, com marcações através do número de telefone 21 318 25 91.

“Devo fazer terapia sexual?”

“Tenho tido problemas do foro sexual com a minha esposa, e já fomos a uma psicóloga, mas as coisas não melhoraram. Será que consultar um especialista em sexualidade poderá ajudar?”

Benjamim, Quinta do Conde

 

Caro leitor

A questão que me coloca é a mesma que perguntar se deve consultar um dentista quando tem um problema de dentes? Claro que sim...um sexólogo tem a formação necessária para lidar com qualquer tipo de problema do foro sexual. Se tem tido dificuldades a nível sexual com a sua esposa, definitivamente aconselho-o a procurar um especialista. Além disso, é bastante importante que a sua esposa participe activamente indo às sessões consigo, pois apenas com o empenho de ambos irão ver resultados.

Desejo Sexual no casal

 

 

Estou casada há 2 anos e tenho 27 anos. O meu marido tem 31 anos e desde há um ano que tem falta de apetite sexual, ou seja, temos relações muito menos vezes do que tinhamos. Pior do que isso é que começo a sentir-me bastante frustrada e farta desta situação pois ele nem sequer quer consultar um especialista. Que devo fazer?

Vânia

Cara Vânia,
O desejo sexual num casal nem sempre surge nas mesmas ocasiões e do mesmo modo. Tem de falar positivamente com o seu marido sobre o que aconteceu desde há um ano para que o desejo dele se tenha alterado: problemas no trabalho? Horários diferentes? Relação alterada?... Pode ser muito difícil para um homem admitir que tem menor desejo sexual que a sua mulher, por isso seja cautelosa no seu discurso, para que consigam aproximar os vossos desejos de aproximação, em vez de se afastarem. Há o mito errado de os homens estão sempre prontos para ter sexo, pelo que ele pode estar a sofrer bastante com esta situação, sem saber resolvê-la. Não seja agressiva nem exigente, mas sim criativa e imaginativa nos modos de o seduzir!
Seria desejável consultarem um especialista da sexologia, mas não lhe exija tal, pois pode tornar até a ideia muito negativa… Peça-lhe que experimente consigo, que podem ir os dois e que o fazem pela relação e pelo vosso futuro.
Veja outros posts sobre desejo sexual para mais sugestões!

Vaginismo


Condição na qual a vagina entra em espasmo muscular durante a penetração do pénis, tornando o acto sexual doloroso. Para atenuar esta situação pode usar-se medicação para tranquilizar a mulher durante o acto sexual de forma a ajudar a reduzir a tensão muscular. Existe também uma Técnica de Terapia Sexual, na qual a mulher é encorajada a introduzir, suavemente, “cilindros de treino” de tamanhos diferentes na vagina de forma gradual. Ao habituar-se à presença destes objectos, a mulher começa a aliviar a tensão que sentia anteriormente.

 

Saiba mais sobre problemas sexuais em sexologia@sapo.pt