Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Dificuldades de erecção

(Flor Garduño)

 

O meu problema é que não consigo penetrar porque não consigo ter uma erecção completa. Já tentei 2 vezes com a minha namorada e das duas falhei.
Antes de penetrar ele está perfeitamente erecto mas quando chega ao momento ele perde algum vigor. Estou preocupado, já não sei o que fazer.
Aguardo alguma ajuda.
Muito obrigado
 
Pedro
 
Caro Pedro,
 
O seu caso parece tratar-se de disfunção eréctil: tal consiste um problema sexual masculino em que o pénis não consegue manter a erecção ao ponto de concretizar a penetração. Pode acontecer por razoes fisiológicas, psicológicas ou ambas.
A sua preocupação e ansiedade e relação a estas tentativas podem levar a que entre num ciclo vicioso, pois quando sente que uma experiência corre mal, pode começar a sentir ansiedade de antecipação e ficar preocupado com isso, o que influencia muito a próxima relação sexual, de modo negativo.
As erecções surgem, perdem-se e ganham-se – não têm de ser utilizadas para penetração – quando perder uma continue a fazer amor com a sua namorada, não dê importância aos sentimentos e emoções negativos, mas relaxe e sinta o corpo, descubra como lhe dar prazer, tenha pensamentos positivos e de que a erecção irá voltar.
É bastante saudável até que tenham algumas relações sem pensar em penetração, concentrando-se apenas em se abstrair de problemas, sem pensar nessa única vez em que as coisas não correram como gostaria, tente relaxar, não partir logo para a penetração mas demorar-se nas carícias, em sentir o corpo da outra pessoa e o prazer e satisfação que lhe pode oferecer, em descobrir as suas zonas erógenas preferidas…
 
Se o problema persistir, pense em consultar um médico especialista, para perceber se haverá causas fisiológicas a causar o problema ou um sexólogo/a, para que não deixe esta pequena dificuldade crescer em bola de neve na sua vida. Nós damos consultas em Lisboa, com marcações através do número de telefone 21 318 25 91.

Desinteresse sexual masculino


Terminei há 2 semanas um namoro de quase 4 anos com a pessoa que amo, sobretudo devido à minha incapacidade de lhe dar o que ela pretendia: sexo e fazê-la sentir-se desejada. No início da nossa relação tudo corria bem, tínhamos relações sexuais com bastante frequência, o sexo era muito bom, mas isto durou apenas nos primeiros 5/6 meses. A partir daí, à medida que íamos ganhando mais intimidade um com o outro, o
desejo foi desaparecendo, cada vez menos tínhamos relações, até que recentemente chegámos a estar 3 ou 4 meses sem as fazer. Acho-a extremamente bonita e atraente, é uma pessoa que atrai a atenção dos outros homens pela sua beleza e sensualidade. A dificuldade para mim está em olhar para ela e vê-la como mulher que é, minha parceira, e desejá-la ao ponto de iniciar a relação sexual. Porque depois de a iniciarmos, normalmente sinto-me bem e o sexo é bom. Ela é uma pessoa com muita libido, e frequentemente tentava que tivéssemos sexo, mas eu sempre arranjava uma desculpa para que tal não acontecesse. No entanto em datas especiais (dia dos Namorados,aniversários, etc.) sempre conseguimos ter relações. Gostava de a recuperar e de mudar…O que posso fazer?

Bóris


Caro Bóris,

 
Não lhe posso dizer como recuperar a sua namorada – só o Bóris a conhece ao ponto de saber como pode reavivar a vossa relação. Posso dizer-lhe que os problemas de desejo sexual que descreve são cada vez mais frequentes, dado o estilo de vida stressante que muitos de nós tem hoje em dia, e os homens não são excepção. Uma das maneiras de os resolver é encontrar alguém que tenha um desejo semelhante ao nosso – a frequência varia muito de pessoa para pessoa e a complementaridade de um casal varia muito ao longo do tempo.
O desejo sexual, sendo uma das fases da resposta sexual humana, não é apenas espontâneo, como muita gente pensa. Pode surgir igualmente em resposta a estímulos que a pessoa considere excitantes, bonitos, românticos, adequados. O Bóris precisa de encontrar os seus. Pode fazê-lo com a ajuda de um especialista ou pode fazê-lo sozinho e em casal.
Não deixe de tentar, pois a sua tendência para não precisar de ter relações sexuais pode ser “contrariada” pelo hábito e pela aprendizagem de comportamentos sexuais saudáveis e adequados a si, que lhe estimulem uma maior frequência, não só de comportamentos como de pensamentos e de sentimentos.
Recomendo-lhe a ler, ver filmes, procurar coisas de cariz sexual para se manter activo e para se estimular, mesmo que não tenha relação. A masturbação é saudável e deve mantê-la na sua rotina. Procure informação na internet, imagens eróticas de que goste, leia romances (desde Mario Vargas Llosa a João Ubaldo Ribeiro), a banda desenhada de Manara, por exemplo, a revistas; escreva novelas eróticas com situações que considere excitantes... Descubra quais são os estímulos que fazem parte da sua sexualidade e dê largas à sua imaginação.
Se sentir que pode ainda beneficiar de terapia sexual, fique à vontade para nos contactar: nós damos consultas em Lisboa, com marcações através do número de telefone 21 318 25 91.

Tema de hoje: masturbação

 

Boa noite Profª Helena Juergens

Tenho 23 anos e uma dúvida que me preocupa desde há 3 meses. Não sei se é um problema, mas preciso de uma explicação. Nunca tive nenhuma relação sexual, mas há cerca de 4 meses que ando a sair com uma rapariga. Sempre que estamos juntos e sempre que existem toques íntimos (carinhos, encostos, beijos, etc), involuntariamente sinto o pénis a estimular-se (erecção) por breves momentos (10/20seg) e depois volta ao normal… Quase sempre que isto acontece há uma pequena libertação de um líquido (penso que não seja esperma pois é incolor/transparente) através da uretra. Isto é muito embaraçoso para mim pois tenho receio de avançar com a relação para algo mais sério devido a esta situação.

Paulo
 
Caro Paulo,
 
A resposta sexual humana tem várias fases: desejo, excitação, planalto, orgasmo e resolução. Nas situações sexuais podemos passar por algumas ou por todas estas fases: o que descreve são situações em que se sente excitado e, como tal, é muito natural que sinta pequenas erecções e libertação de lubrificante masculino, que não é bem sémen, mas contém já alguns espermatozóides. Não há razão para se sentir preocupado nem com vergonha – a sua namorada e amiga compreenderá que a resposta sexual masculina é diferente da feminina e que na vossa sexualidade há muito a descobrir!
Experimente ter relações sexuais, levem o tempo que for necessário para se sentirem confortáveis e íntimos um com o outro, não se trata só de penetração, mas de dar e de receber prazer e consultem uma consulta de planeamento familiar antes para utilizarem um método contraceptivo adequado a vocês e não terem a preocupação das gravidezes indesejadas a invadir o vosso prazer. Se quiser utilizar preservativo, que vos protege igualmente das infecções sexualmente transmissíveis, tente usá-lo sozinho na masturbação primeiro, para que se habitue a ele e seja mais fácil a sua utilização posterior na relação sexual.

Tema de hoje: Problemas de erecção

Preciso da sua ajuda... Nunca tive problemas com a erecção, porém este sábado saí com a pessoa com quem estou há 3 meses e não consegui fazer sexo. E o que mais me deixou perplexo é que eu já tive relações com ela. O que devo fazer?
Rodrigo
Caro Rodrigo,
Não se preocupe com o sucedido, pois o seu problema parece ter surgido por factores de uma situação pontual, ou momentânea – como refere ter saído, pode ter tido essas dificuldades por ter bebido álcool, estar cansado de trabalhar, ou mesmo ter uma preocupação a atormentá-lo.
Tente não entrar num ciclo vicioso, pois quando sente que uma experiência corre mal, pode começar a sentir ansiedade de antecipação e ficar preocupado com isso, o que influencia muito a próxima relação sexual, de modo negativo.
Um homem não tem de querer e desejar relações sexuais a toda a hora: pode estar bem com a sua parceria, mas não lhe apetecer naquele momento e, por isso, o seu cérebro e o seu corpo não responderem aos estímulos de prazer.
Tente abstrair-se de problemas e não pensar nessa única vez em que as coisas não correram como gostaria, tente relaxar, não partir logo para a penetração mas demorar-se nas carícias, em sentir o corpo da outra pessoa e o prazer e satisfação que lhe pode oferecer, em descobrir as suas zonas erógenas preferidas…
Se o problema persistir, pense em consultar um médico especialista ou um sexólogo/a, para que não deixe esta pequena dificuldade crescer em bola de neve na sua vida.

Tema de hoje: Ejaculação Precoce

 

Tenho 30 anos e sempre me confrontei com um problema de ejaculação precoce. Na grande maioria das vezes não consigo aguentar 2 minutos sem ejacular. Será um problema psicológico ou de hiper-sensibilidade?
Francisco
Caro Francisco,
Os problemas sexuais só podem ser diagnosticados por uma equipa de sexólogos e médicos, para que se avaliem os factores presentes em cada caso. Pense em recorrer a uma consulta presencial - as nossas podem ser marcadas em 21 318 25 91 e são em lisboa.
A ejaculação precoce é uma perturbação que se caracteriza pela ejaculação com uma estimulação sexual mínima, que surge antes, durante ou pouco depois da penetração e antes que a pessoa o deseje.
Há factores a ter em conta que afectam a fase da excitação, como por exemplo, a idade, a novidade ou a situação do parceiro/a sexual e a actividade sexual recente.
A (in)satisfação percepcionada pelo próprio é importante nesta avaliação, mas seja realista na sua apreciação do tempo de ejaculação: uma relação sexual de penetração não dura tanto como se diz. Um estudo recente (da equipa de Eric Corty da Universidade de Penn State, que saiu no Journal of Sexual Medicine) refere que uma relação sexual ideal dura entre 3 e 13 minutos. Claro que se se sente insatisfeito com o tempo que dura a sua ejaculação, tem razões para procurar ajuda.
Experimente um produto retardante em pomada, que pode ser comprado numa sex-shop, para colocar na glande e fazê-lo perder um pouco a sensibilidade peniana (este produto deve ser utilizado em pequenas quantidades e o homem deve colocar um preservativo após a sua aplicação). Pode também colocar um preservativo e tentar a masturbação com ele, antes de o colocar na relação sexual (pode inibi-lo e assim tem tempo de treinar sozinho até se sentir à vontade).
Se estas sugestões não funcionarem, tente a técnica dos terapeutas sexuais – o “squeeze” – que consiste em parar a estimulação sexual e apertar a base ou freio do pénis com três dedos (polegar, indicador e dedo médio) antes da ejaculação e por 3 a 4 segundos, o que parará a ejaculação e causara uma redução da erecção. Continue a estimulação e excitação mútua para voltar a recuperar a erecção. Esta técnica deve ser repetida 3 vezes ate permitir a ejaculação. E normal que nas primeiras vezes não seja bem sucedido em conseguir parar a estimulação antes de ejacular, mas deve continuar a tentar. Demora em média 3 semanas, fazendo o exercício 3 ou 4 vezes por dia até que se notem os resultados. Esta técnica pode parecer difícil de executar, pelo que a ajuda de um técnico especializado em sexologia pode ser útil. Não deve ter medo de recuperar a erecção, como refere, pois esse medo em antecipação é que o deve estar a impedir de a recuperar.
É ter tranquilidade e não ser observador da sua relação, mas estar presente a sentir todo o prazer possível. Pode ainda masturbar-se até atingir o orgasmo e a ejaculação umas horas antes da relação sexual (ou na própria relação sexual), para que na próxima penetração o tempo desta seja mais duradouro.
Tente abstrair-se de problemas, relaxar, não partir logo para a penetração mas demorar nas carícias, sentir o corpo da outra pessoa e o prazer e satisfação que lhe pode oferecer, descobrir as suas zonas erógenas preferidas…
Apesar destas sugestões úteis, penso que deveria consultar um especialista, que lhe esclareça esta questão e lhe dê um apoio presencial, pois pode prevenir que este problema continue e o faça sentir-se cada vez pior consigo próprio e nas suas relações sexuais. Não tenha vergonha, a ejaculação precoce ou prematura é muito frequente em homens de muitas idades e tem tratamento.

Tema de hoje: Problemas Sexuais

 

Sou um jovem de 24 anos, saudável. Passo fases de abstinência sexual relativamente alargadas (por mais de 6 meses).  Tenho um problema que me tem vindo a perturbar há algum tempo: quando me envolvo com uma pessoa e durante a fase pré-sexo, onde nos beijamos, costumo ficar bastante entusiasmado e surgem-me regularmente erecções. O problema que me aparece é numa fase posterior, durante o acto sexual propriamente dito tenho dificuldades em ter erecções. Tenho bastante dificuldade em perceber o porquê desta questão, visto que não tenho problemas em ter uma erecção quando estou sozinho, ou durante a tal dita fase de pré-sexo. Poderá isto ser algum constrangimento, ou alguma disfunção?
Dani
Caro Dani,
Pela descrição que faz do seu problema parece tratar-se de disfunção eréctil, embora uma avaliação médica e sexológica seja sempre necessária – consulte o seu médico de família, para que ele o encaminhe para médicos especialistas (urologista ou andrologista) e considere fazer uma consulta de psicologia e terapia sexual, para que as dificuldades sentidas não se instalem como uma disfunção na sua vida sexual. Se estiver a fazer alguma medicação, por exemplo, anti-depressiva, esta pode influenciar a sua resposta sexual, pelo que deve continuar a tomá-la, mas falar com o seu médico sobre os efeitos secundários e a possibilidade de ajustar a dosagem e as tomas.
Dada a sua idade, acredito que a causa destas dificuldades sejam psicológicas – o leitor parece ter entrado num ciclo vicioso, depois de uma experiência que correu mal, começou a sentir ansiedade de antecipação e a ficar preocupado com isso, o que influencia muito as relações sexuais seguintes, de modo negativo.
Durante a fase de preliminares, quando a relação física já começou com carícias e estimulação recíproca, é mais fácil ter erecções, pois não está preocupado com problemas (sexuais ou outros) ou com consequências negativas da relação sexual e, como tal, o seu cérebro e pénis conseguem sentir e estar focados na excitação do momento. Quando chega a hora de tentar a penetração, o seu corpo e mente estão num modo que não é sexual mas ansiogénico, mergulhados em preocupações e a sentir cada vez menos o prazer.
É muito importante que perceba este ciclo vicioso e o consiga cortar: relaxe, não desista de ter relações sexuais só porque perdeu aquela erecção, pois se continuar a estimulação outras se seguirão certamente; ganhe confiança com as suas parceiras sexuais, para que sejam pacientes e que se sinta à vontade (a intimidade pode ser assustadora, mas também permite a confiança para resolver as dificuldades que sente em parceiras ocasionais); treine a colocação e utilização do preservativo na masturbação; experimente comprar anéis penianos numa sex-shop, que o podem ajudar ligeiramente a aguentar o afluxo de sangue no pénis…
Não deixe de tentar resolver este seu problema, nem que ele domine o prazer das suas relações, pois há muito para experimentar e sentir!

Dificuldades de erecção

Preciso de ajuda. Sou um jovem de 26 anos e esta semana tive problemas de erecção. Sinto-me em pânico e não sei o que fazer. Queria também saber quais são as causas da disfunção eréctil para me prevenir.
Nuno

 

Caro Nuno,
Não interprete as dificuldades que teve como disfunção eréctil – tal vai aumentar a sua ansiedade e dar-lhe uma percepção de tragédia, de um pontual problema que teve. É normal o homem não ter erecções duras e espontâneas, como costumava na adolescência, pode mesmo ser por cansaço, ter bebido álcool, estar nervoso com algum problema, não estar à vontade nem a desejar a parceira, estar a fazer medicação anti-depressiva ou outra…
A disfunção eréctil poderá surgir se entrar num ciclo vicioso: depois de uma experiência que corre mal, começa a sentir ansiedade de antecipação e a ficar preocupado com isso, o que influencia, de modo negativo, as relações sexuais seguintes.
É muito importante que perceba este ciclo vicioso e o consiga cortar: relaxe, não desista de ter relações sexuais nem da estimulação para o prazer só porque perdeu aquela erecção, continue com carícias, massagens, masturbação mútua,… Se continuar a estimulação outras erecções se seguirão certamente; ganhe confiança com as suas parceiras sexuais, para que sejam pacientes e que se sinta à vontade (a intimidade pode ser assustadora, mas também permite a confiança para resolver as dificuldades que sente em parceiras ocasionais); treine a colocação e utilização do preservativo na masturbação; experimente comprar anéis penianos (ou cock-ring) numa sex-shop, que o podem ajudar ligeiramente a aguentar o afluxo de sangue no pénis…Tenha pensamentos positivos e de incentivo para si mesmo, se estiver preocupado com a satisfação, ansioso ou com medo de falhar, a sua cabeça não tem espaço para se dedicar ao prazer, mas apenas aos problemas.
Se o problema persistir uma consulte o seu médico de família, para que ele o encaminhe para médicos especialistas ou para uma consulta de psicologia e terapia sexual, para que as dificuldades sentidas não se instalem como uma disfunção na sua vida sexual. As causas da disfunção eréctil são demasiado variadas para uma descrição útil para o seu caso particular, mas digo-lhe que podem ser fisiológicas, psicológicas ou mistas.
Boa sorte na resolução destas dificuldades, seja optimista consigo mesmo e não entre em pânico.

Problemas de erecção

O meu namorado é um jovem de 18 anos, saudável. Passou fases de abstinência sexual relativamente alargadas, quando ainda não estamos juntos e tem um problema que tem vindo a perturbar-lhe e a mim também há algum tempo: quando se envolve comigo e durante a fase pré-sexo, onde nos beijamos, costuma ficar bastante entusiasmado e surgem-lhe regularmente erecções. O problema que lhe aparece é numa fase posterior, durante o acto sexual propriamente dito tem dificuldades em ter erecções. Tem bastante dificuldade em perceber o porquê desta questão, visto que não tem problema em ter uma erecção quando está sozinho, ou durante a tal dita fase de pré-sexo. Parece que isto não aconteceu apenas comigo, pois já tinha acontecido numa relação anterior.

Irina

 

Cara Irina,
 
O problema que descreve pode tratar-se de disfunção eréctil um dos problemas sexuais mais comuns nos homens: pode tratar-se de uma incapacidade de manter a erecção por um curto período até conseguir obtê-la de todo. É muito normal que os homens passem por isto em algum período das suas vidas ou em situações pontuais por factores circunstanciais (cansaço, ter bebido demasiado álcool, estar a fazer determinada medicação, etc). O problema começa muitas vezes com uma situação pontual, mas que a preocupação em antecipação e no momento sexual posterior levam a que se instale uma disfunção sexual.
Uma das causas mais comuns da disfunção eréctil é uma condição na qual embora o sangue aflua ao pénis da forma habitual durante a erecção, volta de novo para trás e o pénis fica flácido. Isto acontece devido ao sistema de bloqueio, que normalmente mantém o sangue dentro do pénis, deixar de funcionar convenientemente. Este problema pode ser ultrapassado utilizando um anel concebido medicamente que encaixa à volta da base do pénis – experimente comprá-lo num sex-shop.
Os problemas de erecção do seu parceiro parecem ter uma origem psicológica, visto que ele consegue ter erecções antes da penetração. Por exemplo, se estiver preocupado com o seu desempenho sexual, ou com sentimentos de inadequação, culpa, ou ressentimento, estes podem manifestar-se como uma incapacidade de ter ou manter a erecção.
Como este problema já tem algum tempo, devem em casal fazer uma terapia sexual, que vos pode ajudar a ultrapassar este problema (nós damos consultas em Lisboa, com marcações através do número de telefone 21 318 25 91). Se adiarem demasiado o tratamento as dificuldades podem instalar-se e dificultar ainda mais a que o seu parceiro, e a Isabel, se sintam satisfeitos com a vossa vida sexual e com a relação. Não hesitem e peçam ajuda profissional – verão que não se arrependerão!

Ejaculação Retardada

 

Olá, eu e o meu namorado temos relações, e ele tem problemas com ejaculação retardada, pois não consegue ter orgasmos apenas com a penetração, para ele gozar é necessário que ele tire o pénis e faça sexo oral e então ele consegue chegar ao orgasmo! Além disso, quando ele vai gozar, é preciso que ele contraia seus músculos e precisa colocar muita pressão!!! Conversámos e ele acha que deve ter algum problema! O que poderá ser? Quero ajudá-lo para que ele tenha mais prazer e não que tenha que fazer força??!! Eu penso que seja um pouco psicológico, pois ele disse que antes de namorar comigo ficava com as garotas, tinha relações, porém nunca tinha orgasmos por medo ou por não confiar...sexo para ele era só status!!
Marieta
 
Cara Marieta,
 
Parece que o seu namorado tem dificuldades de ejaculação retardada, em que o homem sente bastantes dificuldades em ejacular, mas tal deve ser diagnosticado em consultas presenciais e por especialistas em sexologia. As nossas consultas podem ser marcadas em 21 318 25 91 e o consultório fica no Saldanha, em Lisboa. No entanto, algumas causas desta perturbação podem ser medicamentos que esteja a tomar (como por exemplo SSRI’S/anti-depressivos), por isso se for esse o caso, consulte o se medico e explorem a possibilidade de alterar a medicação ou a dose.
Notem bem que o tempo da ejaculação depende de homem para homem e da pessoa com quem está a ter relações sexuais – lento e demorado para uns pode ser curto e rápido para outros. A confiança na parceira é realmente importante para se atingir o orgasmo e o seu namorada deve explorar modos de o atingir, consigo, que dêem prazer a ambos. Por exemplo: juntar lubrificante (há de vários tipos, que aumentam a circulação sanguínea, líquidos, pomadas, com diferentes aromas…), ter o orgasmo com masturbação em vez da penetração vaginal, sexo oral, e mesmo a utilização de um vibrador para ajudar a estimular e atingir o orgasmo mais rapidamente. Se ainda assim não se sentirem satisfeitos com a vossa vida sexual procurem ajuda especializada de sexologia e muito boa sorte!

Verificar o preservativo

Eu e a minha namorada temos sempre relações sexuais com preservativo, mas eu tenho muito medo de engravidar. Fazemos sempre com camisinha e eu verifico-as para ver se alguma por acaso furou (situação que nunca aconteceu). Gostava de confirmar se considera que encher a camisinha com água e apertá-la para ver se furou é um bom método para ter a certeza que funcionou?
Eu nunca cheguei lá só com a penetração, ou seja, nunca tive orgasmo na penetração e não percebo porquê.
Rui
 
Caro Rui,
 
Pelo seu email noto em si uma grande preocupação com a gravidez indesejada, apesar de ter cuidados extremos com a contracepção que utilizam. Antes da relação sexual repare no estado da embalagem do preservativo, reveja a colocação correcta (no blog) e, no final de cada relação sexual, repare no estado no preservativo. Se o está a encher de água ANTES do sexo está a DANIFICÁ-LO e não a certificar-se que está em bom estado. Aconselho-vos a adicionarem um outro método anticonceptivo, pois sentir-se-à mais seguro e disponível para sentir o prazer da sexualidade.
Não ignore o facto de ter o seu orgasmo/ejaculação retardada: as suas preocupações e cuidados podem estar a interferir com a sua capacidade de se entregar ao prazer e à descoberta do que podem sentir. Veja mais sobre esta situação no blog (http://consultoriosexologia.blogs.sapo.pt/tag/ejacula%C3%A7%C3%A3o+retardada) na Tag da ejaculação retardada.