Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

"Que devo fazer para proporcionar à minha namorada orgasmos múltiplos?”

Amo imenso a minha namorada e gostava de lhe dar mais prazer. Ouvi falar em orgasmo múltiplo, o que é isso? Como posso praticar isso com a minha namorada?...”

 

Luís Pedro, Sintra

 

 

Caro Leitor,

 

Os orgasmos múltiplos são uma sequência de vários orgasmos cuja intensidade, quantidade e velocidade varia de mulher para mulher. O primeiro passo para atingir o orgasmo múltiplo é dar bastante atenção aos preliminares e estar atento às reacções da sua namorada durante o acto sexual. Descubra o tipo de estimulação que ela mais gosta, e faça-o durante mais tempo do que o normal, sem parar após o primeiro orgasmo. Basicamente, para que uma mulher atinja orgasmos múltiplos requer que o homem proporcione uma estimulação contínua e mais prolongada. Tenha no entanto em mente que nem todas as mulheres têm a capacidade de os experimentar, muitas mulheres com vidas sexuais completamente normais e satisfatórias apenas experienciam um orgasmo independentemente da estimulação que recebam. Converse com a sua namorada sobre isso, pois nenhuma mulher no mundo se vai importar se o seu parceiro lhe quiser dar mais prazer!

 

 

O meu clítoris é enorme!

misterios-del-clitoris.jpg

 

"Tenho um clítoris fora do normal. Já me observei com um espelho e acho que é maior do que o normal. Quando me excito parece que cresce e tenho medo de experimentar ter relações com alguém e assustar a pessoa. O que posso fazer?"

Sara - Lagos

 

Cara leitora,

O que descreve pede uma avaliação médica cuidada. Marque uma consulta com um ginecologista ou no seu médico de família, para ser observada por profissionais que lhe dirão se tem razões para tal preocupação. Pode ser que as suas expetativas estejam a influenciar a sua imagem mental do clítoris e esteja a sentir preocupações sem razões para tal. Há pessoas que apresentam pequenas diferenças da média, mas tal não tem necessariamente de influenciar negativamente a sua sexualidade e a sua relação com alguém no futuro. Se o médico lhe confirmar as suas suspeitas, pode avisar a pessoa antes de ter a relação sexual para não ser surpreendida, e verá que é um pormenor físico sem importância. No entanto mesmo que o seu médico confirme que o seu clítoris é maior do que o normal, não decida fazer uma cirurgia "estética" ao clítoris apenas para reduzir o seu tamanho, pois isso pode ter consequências devastadoras na sua sexualidade, ou seja, pode perder sensibilidade no clítoris e vir a não ser capaz de atingir o orgasmo. Na fase da excitação feminina é normal os grandes e pequenos lábios alterarem o seu tamanho e o clítoris ficar ereto – pode ser apenas isso que observou em si mesma, para além da lubrificação vaginal que associamos à excitação.

“Gostava de ser algemada!”

“Já há muitos anos
que tenho um fetiche que gostaria de o experimentar com o meu namorado. Queria
que ele me algemasse à cama durante a relação sexual. Como hei-de fazer para
lhe dizer? Namoramos há 3 meses e não quero que ache que sou uma tarada
sexual!”

 

Sara, Almada

 

Cara Leitora,

Realmente este assunto é bastante delicado e um pouco
difícil de ser abordado, mas a melhor forma de conseguir realizar a sua
fantasia será conversar com o seu namorado sobre esta questão. Considera-se
este tipo de jogos como fazendo parte do chamado Sadismo, no qual a pessoa que
controla tem prazer através do sofrimento do outro, embora o Sadismo faça parte
integrante das relações humanas mais elementares e seja vivido consoante os
preconceitos de cada indivíduo. Nos jogos Sadomasoquistas, de acordo mútuo, a
cada sádico corresponde uma vítima, o masoquista, e é necessário existir por
parte de ambos um acordo. É necessário que tenham atenção aos instrumentos
utilizados, para que os actos não provoquem dor. Como tal, em vez de utilizar
as algemas que poderão provocar ferimentos, usem gravatas ou lenços em que os
nós sejam fáceis de desapertar, se por qualquer razão for necessário. Deve
responder de forma calma e serena a todas as dúvidas que ele lhe colocar, e se
por qualquer motivo ele não aceitar, seja compreensiva e tente entender as suas
razões. Terão ambos que acordar para que, assim que um de vós se sinta
desconfortável, o jogo termine, de modo a que não provoque qualquer tipo de
dor.

 

“Sexo anal sem dor…”

“Eu e o meu namorado, por várias vezes, já fizemos sexo anal e devo confessar que até gosto da experiência. O único inconveniente é que sinto algumas dores. Como devo contornar esta situação?

 

Alexandra, Lisboa

Cara Leitora,

Existem inúmeras formas de obter uma relação sexual mais prazerosa e menos dolorosa. Deve ter sempre em conta que sexo deve ser sinónimo de prazer e não de dor. 

Para que possa ter uma relação menos dolorosa, deve evitar estar tensa, pois desta forma facilitará a contração da musculatura tornando este ato mais difícil.

A região do ânus por ser rica em terminações nervosas e sensível às carícias torna-se, por excelência, uma zona que permite a excitação e obtenção plena de prazer.

De forma a diminuir as dores durante o sexo anal, deve apostar nos preliminares para que possa ser estimulada até à excitação e usar lubrificantes, pois o ânus não produz uma lubrificação natural tal como a vagina.

 

É normal gostar muito de sexo aos 40 anos?

canstockphoto4679714.jpg

 

Tenho 40 anos e gosto muito de sexo. Penso mais do que faço. Gostaria de saber se há alguma indicação ou estudo sobre a quantidade de relações por mês num casal pela minha idade. Será normal de três em três meses? Outro dia, quando estava a iniciar, durante os preliminares, quando beijava e tocava, ejaculei em poucos segundos. Terei algum problema? Fiquei de rastos, apesar da compreensão da minha mulher.
Bento Aguiar - Maia

 

Caro leitor,

De uma forma geral casais entre os 20 e 50 anos de idade têm relações sexuais em média entre 1 e 3 vezes por semana, com estudos diferentes indicando valores diferentes. É difícil determinar o que é muito ou pouco sexo entre um casal, pois cada caso é um caso, e cada casal tem a sua frequência ideal, ou seja, o que é considerado normal e satisfatório para si, pode não o ser para outro casal e vice-versa. Dessa forma, se tanto você como a sua esposa estão satisfeitos em ter relações sexuais de 3 em 3 meses, então, não existe nenhum motivo para preocupação. No entanto, uma vez que não tem relações sexuais com bastante frequência vai ter o problema da ejaculação precoce, ou seja a sua sensibilidade vai estar bastante elevada e por isso vai ejacular mais cedo do que deseja. Por isso aconselho que tente ter relações sexuais com um pouco mais de frequência se deseja resolver o problema da ejaculação precoce, ou tente masturbar-se com mais frequência, e dessa forma não vai estar tão excitado quando tiver relações com a sua esposa.

“Não consigo estar à vontade com ele!”

“O meu namorado é mais experiente do que eu. Na verdade é a primeira vez que estou com uma pessoa do mesmo sexo e não sei muito bem como agir. Tenho muito medo de não corresponder às suas expectativas.”

 

Ricardo, Porto

 

Caro Leitor,

O que se passa consigo é apenas o reflexo da sua pouca experiência sexual que deixa transparecer alguma insegurança face ao seu desempenho sexual.

Por isso, tente relaxar, descontrair e vá fazendo as coisas ao seu ritmo, encarnando cada vivência sexual como um momento de aprendizagem. Certamente, o seu companheiro saberá como ajudá-lo a dar e a receber prazer. Aproveitem esses momentos para fomentarem a vossa cumplicidade e com o tempo verá que essas preocupações apenas fazem parte do passado. Acalme-se e não deixe que o nervosismo e a insegurança se apoderem de si. Procure ser mais confiante e entregar-se aos estímulos que o seu corpo emite. Verá que rapidamente se tornará um excelente amante, basta que acredite mais em si e no seu desempenho sexual.

“ Tenho medo de mostrar o meu lado selvagem”

 

“Quando tenho uma relação duradoura não consigo mostrar o meu lado selvagem da mesma forma que o faço com alguém com que passo apenas uma noite, pois tenho medo que a pessoa que está comigo pense que sou um tarado e que durmo com muitas mulheres.”

Rui, Portimão

 

 

Caro Leitor:

É normal que quando assume uma relação estável se preocupe mais com o que a sua companheiro pensa acerca de si, mas dai a pensar que por ser um parceiro fogoso ela vai pensar que é um tarado e que dorme com muitas mulheres não faz muito sentido. Não é através da libido de uma pessoa que se pode avaliar quantos companheiros essa pessoa teve e além disso acho que são poucas as mulheres no planeta que vão reclamar por o namorado ser um bom amante!!! Pode-se dar o caso de você estar a projectar na seu parceira aquilo que realmente sente em relação a si mesmo. Se for esse o caso, aconselho-a a procurar um psicólogo para resolver o que está por detrás desse comportamento. Aceite a sua sexualidade sem preconceitos pois nunca se sentirá completamente feliz numa relação na qual não está a ser autentico.

“ Receio revelar que gosto de jogos eróticos”

 

 

“ Sempre que tenho um relacionamento com alguém e a situação fica mais séria, não consigo mostrar aquilo de que sou capaz a nível sexual. Receio que a pessoa que está comigo faça juízos precipitados acerca do meu comportamento e pense que sou uma maluca e que já devo ter tido muitos parceiros sexuais.”

Luísa, Sacavém

 

 

 

Cara Leitora,

É normal que fique preocupada com o que o seu namorado pensa acerca de si e acerca das suas atitudes. Mas pensar que por ser uma pessoa sensual e fogosa, leva o seu namorado a concluir que já teve muitos parceiros sexuais, isso é um pensamento errado. Não é através da libido que se avalia quantos companheiros uma pessoa teve. Parece-me que a leitora está a projectar no seu companheiro aquilo que realmente sente em relação a si mesma. Sendo esse o caso, aconselho-a a procurar um psicólogo para resolver o que está por detrás dessa imagem negativa que tem de si. Aprenda a aceitar a sua sexualidade sem preconceitos, liberte-se aos poucos pois nunca se sentirá completamente feliz numa relação na qual não está a reprimir os seus desejos. Relaxe e converse com o seu namorado acerca do que gosta ao nível da sexualidade, vai ver que ele até vai gostar das suas das suas ideias.

 

“A minha esposa nunca tem vontade de fazer amor!”

 

 

“Estou casado há 12 anos e a minha vida sexual sempre foi bastante boa. No entanto, ultimamente a minha mulher está sempre stressada por causa do trabalho e nunca tem vontade de fazer amor comigo. Não sei o que devo fazer para que ela volte a desejar-me.”

 

Ricardo, Faro

 

Caro leitor,

Um dos factores que mais prejudica a vida sexual de um casal é o stress, por isso tenho de felicitá-lo por se aperceber que isso está a ser um problema no seu casamento. Identificar a tempo a origem do problema permite que intervenha de forma a reacender a chama da paixão. Se a sua mulher anda muito cansada, experimente surpreendê-la, preparando-lhe um banho relaxante ou até mesmo um jantar romântico. Enquanto ela está na sala, vista um rode de banho e encha a banheira com água morna, faça os possíveis por criar um ambiente sensual, no qual pode colocar velas à volta da banheira, sais de banho na água e até ter música ambiente. Quando este “paraíso de prazer” estiver preparado, chame-a para o quarto e peça que ela se dispa e entre na banheira consigo. Trate-a como uma rainha. Faça-lhe uma massagem ás costas para aliviar o stress com um óleo de massagem bem perfumado e depois use os seus dotes masculinos para apimentar a situação. Certamente a sua esposa vai gostar da surpresa e vai sentir-se muito mais relaxada para fazer amor consigo.

 

 

 

“Já estou farta do vibrador!...”

 

 “Tenho uma relação estável com outra mulher há já 4 anos. Procuramos sempre animar a nossa vida sexual e experimentar coisas novas, há uns meses comprámos um vibrador, que temos utilizado desde então. Acontece é que eu já estou farta e ela continua a insistir em usá-lo.”
Soraia
 
 
Cara Leitora,
O uso de objectos que proporcionem maior diversão nos momentos de intimidade e diminuição da rotina são sempre saudáveis. Actualmente, é bastante normal que casais tanto homossexuais como heterossexuais visitem sex-shops à procura de novas formas para dinamizar a vida sexual e fugir à rotina. Todavia, não tem de consentir no uso de objectos ou em brincadeiras com as quais não está de acordo. Não é legítimo que a sua companheira exija a sua participação em práticas sexuais que não são do seu agrado, por isso, converse com ela e mostre-lhe que a vossa sexualidade apenas resulta se ambas concordarem e tiverem motivação para participar nas aventuras eróticas. O sentido de obrigatoriedade fará com que a leitora, progressivamente, vá perdendo a vontade de estar intimamente com ela. Mostre-lhe que prefere partir à descoberta de outras coisas e que nesse sentido a vossa performance sexual apenas beneficiará com isso, principalmente se estiverem ambas empenhadas.