Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Como é que as mulheres ejaculam?”

 

“Sou um homem de 37 anos sexualmente ativo e interessado em proporcionar o máximo de prazer às mulheres com quem me envolvo. Tenho ouvido falar em ejaculação feminina e gostava de saber exatamente em que consiste.”

 

Sérgio, Braga

Caro leitor,

A ejaculação feminina é um assunto que já provocou alguma controvérsia, porque o fluido em questão é expelido pela uretra após o orgasmo, o que fez com que se pensasse tratar de um descontrolo urinário. Hoje em dia com as pesquisas e estudos efetuados acredita-se que o fluido ejaculado é produzido pelas glândulas de Skene, localizadas perto da uretra da mulher e feitas de um tecido que é semelhante na sua composição à próstata do homem. Embora naturalmente não contenha sémen, o líquido ejaculatório feminino tem semelhanças na sua composição com aquele que é ejaculado pelo homem. As mulheres que experienciam a ejaculação feminina e os orgasmos intensos que geralmente a acompanham sentem um enorme prazer.

O prazer dos afrodisíacos

Aphrodisiac-Foods-Cherries.jpg

 

Para assegurar a sobrevivência das nossas espécies, a questão do sexo e da comida são as necessidades básicas humanas. A procura da felicidade erótica, e a caça de substâncias que promovam isso, é uma área tão antiga como o aparecimento da civilização.

 

Mostrarei como identificar afrodisíacos que estão cientificamente provados e a conduzi-lo a criar deliciosas refeições afrodisíacas, rápidas, simples e fáceis, para que tenha muito tempo e energia para a sobremesa. Também incluímos comidas que são historicamente conceituados para melhorar o desempenho sexual, mas ainda não passaram pela rigorosa avaliação cientifica.

 

Cozinhar e comer é como fazer amor. Os mesmos cheiros e sensações, vista, sabor, ouvir e tocar – têm um papel importante na cozinha e no jogo da paixão. Só por cozinhar uma boa refeição, está a entrar num ato erótico. E mais, afrodisíacos e sexo são realmente bons para si. Muitos estudos científicos mostraram que o aumento da vida sexual e boas relações promovem o bem estar.

 

Desde o inicio dos tempos até hoje

Os afrodisíacos têm feito parte da existência humana e do regime humano desde o início dos tempos. Os caçadores africanos devoraram órgãos crus de leão. Os romanos preferiam pénis de lobo selvagem e sémen de crocodilo, e os egípcios, serpentes venenosas. Parar assegurar a virilidade na noite de núpcias, os noivos prussianos comiam testículos de boi, javali ou urso. Hoje, pénis de tigre ou chifres de rinoceronte ainda são considerados afrodisíacos na China. Os melhores amantes e os escritores mais apaixonados enfatizaram o poder dos afrodisíacos.

 

Qualquer refeição é uma ocasião para celebrar a sensualidade e brindar ao amor, romance, família, e vida. Boa comida servida numa cama de romance conduz à felicidade, saúde, longitude, amor, vida sexual satisfatória.

 

Desde o bolo de carne até ao bolo de queijo

Comida e sexo estão intimamente ligados aos nossos corpos e mentes. Mesmo a nossa linguagem associa comida e sexo. Basta considerar termos usados no jogo da atividade sexual – carne, bolo de queijo, pastel doce.

Há muitas razões pelas quais os afrodisíacos tem o poder de inflamar os nossos sentidos, a nossa imaginação, e aumenta a nossa libido. Os afrodisíacos funcionam em muitos níveis, e vários factores influenciam: químico, sensorial, emocional, romântico, social e factores energéticos.

 

O fator químico

Existem dezenas de comidas, as quais têm se verificado que aumentam a atividade sexual e o nosso apetite sexual e capacidade. Ao contrário do Viagra, estes estimulantes naturais e reforços físicos não têm efeitos negativos como dores de cabeça, diarreia, infeções urinárias. Existem muitas comidas de que falaremos que funcionam como o Viagra, reforçam os níveis da molécula de óxido nítrico, que regulam as ereções.

 

O fator sensorial

Comer é uma atividade íntima, sensual e sensorial que pode estimular os nossos apetites sexuais se as comidas certas estão bem preparadas e consumidas. As comidas lembram-nos o sexo por causa do seu sabor, textura, ou aparência: marisco salgado, por exemplo, sabe e cheira como os fluidos sexuais. Já para não dizer que é rica em nutrientes que ajuda a aumentar os níveis hormonais e melhorar a função sexual.

 

O fator emocional

Preparar a comida para cada um, é um meio de dar e receber amor. Como quando se faz amor, quando alguém cozinha para si, você sente-se alimentada, e quando você cozinha para alguém, você alimenta e cuida dele. As emoções manifestadas por uma boa refeição e por um bom sexo são as mesmas. Sentimo-nos quentes, nutridos, bem cuidados, protegidos, valorizados, e emocionalmente seguros. Noutras palavras "amada"! "O caminho para o coração do homem, é através do estômago" pode ser um mito, mas é verdade.

Memorias, emoções, e os sentidos estão interligados. Em muitas alturas os factores emocionais e sensoriais interagem uns com os outros para provocarem reacções extraordinárias. O aroma sensorial da comida pode evocar poder emocional e aumentar as respostas sexuais.

 

O fator romântico

Tentações são a sua receita para aumentar a criatividade na sua vida, estimular o sexo, e induzir a terem tempo um para o outro. Explore o nosso livro e descobrirá que fazer uma refeição romântica, uma ou duas vezes por semana é a chama necessária para o melhor sexo e para aumentar a intimidade. Combinando um tempo e um encontro por semana com o seu parceiro, você assegurará um bom tempo juntos. É excitante, antecipar essa data e divertido pensar como e com quais afrodisíacos vocês se seduziram um ao outro.

“Como é que se pode fazer o teste de infertilidade masculina?”

 

“Gostaria de saber o nome do teste de infertilidade masculina e como fazê-lo. É apenas por mera curiosidade, mas considero importante ter acesso a determinado tipo de informação.”

Óscar, Rio Maior

Caro Leitor,

A infertilidade masculina acontece quando o homem não ejacula ou não produz a quantidade necessária de espermatozóide ou estes não se movimentam da forma adequada para que se dê a penetração do óvulo.

O exame que é feito com maior regularidade para testar a infertilidade masculina é o chamado espermograma, onde o objetivo principal é analisar o sémen. Através deste exame é possível medir a quantidade, a mobilidade e o formato dos espermatozóides. Este é um dos mais solicitados à partida para realizar qualquer diagnóstico, contudo este pode e deve ser suportado por outros exames. Porém, o teste não deve ser feito apenas por um membro do casal, é importante que ambos façam os testes necessários de modo a averiguar de onde podem advir os problemas. Se de facto se constatar que o problema se reporta ao membro masculino para além do espermograma é importante que se façam exames complementares.

É importante que se tenha em conta que quanto maior for o estado de ansiedade maior será a tensão vivida durante o processo de fertilização. Neste caso, é necessário bastante equilíbrio, paciência e determinação. Note-se que os problemas que mais potencializam a infertilidade masculina são: problemas hormonais (redução de testosterona), acumulação de sangue nos testículos (varizes escrotais), consumo de álcool, drogas e anabolizantes, doenças genéticas, tratamentos de radioterapia e quimioterapia e obstrução dos canais que transportam os espermatozóides dos testículos à uretra.