Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Existem práticas Sadomasoquistas seguras?

 

Tenho 25 anos e recentemente comecei a interessar-me por práticas Sadomasoquistas, mas não sei se existe uma forma de as praticar sem que ninguém saia magoado.

Júlio, Porto,

 

Caro leitor,

 

Existem milhares de pessoas em todo o mundo que participam da praticas sexuais Sadomasoquistas de forma segura e consentida. O principal factor a ter em consideração e o consentimento de todos os intervenientes e o entendimento de que a cena Sadomasoquista pode ser interrompida imediatamente assim que um dos intervenientes o desejar.
Ou seja, ninguém deve forçar ninguém a fazer nada que este não deseje. Desta forma há que aprender os limites de Role-play de cada parceiro através de um diálogo franco e aberto. Existem muitos livros e associações que ensinam a pratica segura do Sadomasoquismo, por isso aconselho-a a consulta-los.

“Onde estão os limites saudáveis na prática Sado-masoquista?”

“Tenho muita curiosidade em experimentar o Sado-masoquismo, pois sempre me fascinou e atraiu. No entanto, tenho algum receio de perder o controlo da situação, e cresci com a ideia de que este tipo de práticas são erradas e doentias. Onde é que se definem os limites para o que está certo ou errado?”

 

Vanessa, Lagos

 

Cara leitora,

No sado-masoquismo é estabelecido um acordo com base no domínio e na submissão. Um dos parceiros assume de antemão o papel de dominador, sendo que o outro aceita antecipadamente submeter-se às vontades e às ordens do primeiro. O mútuo consentimento é o principal limite, e deve ser estabelecido por todos os intervenientes antes de ser iniciada a relação. O sado-masoquismo é normal, desde que todos os seus praticantes o façam de livre vontade e tenham prazer neste tipo de prática, que envolve dor física, desconforto e intensidade, cujo limite é o sinal para parar dado pelo sumbmisso. O sado-masoquismo mistura o prazer com a dor, sendo que os  seus praticantes sentem prazer através desta. O mútuo consentimento é aquilo que torna o Sado-masoquismo “normal” e que o distingue do abuso físico. A confiança desempenha um papel fulcral no Sado-masoquismo, e antes de iniciar a “sessão” os intervenientes têm de discutir aquilo de que gostam e o que estão dispostos a fazer. É habitual haver uma “palavra de segurança”, que não deve estar relacionada com aquilo que estão a fazer, e que é usada quando um dos intervenientes quer parar. Devido ao tipo de interacção que o Sado-masoquismo implica palavras como “não” ou “pára” não são usadas como palavras de segurança, pois podem ser recorrentemente utilizadas. Palavras completamente dissociadas do contexto, como “prata”, “manteiga”, etc. são preferíveis. Se não está segura acerca dos seus próprios limites pessoais, procure fantasiar acerca das cenas. Se nas suas fantasias algo lhe causa impressão, provavelmente também não se sentirá confortável ao pôr isso em prática.

Palmadinhas de aniversário

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A minha namorada quer dar-me umas “palmadinhas” de prenda de aniversário, uma por cada ano de vida, mas não sei bem se devo concordar com esse pedido.

 

Luís, Abrantes

 

Caro Leitor,

 

Se o leitor nunca experimentou nenhuma prática de sexo sadomasoquista é natural que se sinta um pouco apreensivo. No entanto a sua namorada só lhe quer dar umas palmadinhas de amor, não o quer espancar ou amarrar à cama com correntes. Converse com a sua namorada e veja o que ela tem em mente, pois pode até ser divertido para si. Se decidir levar avante essa ideia, é importante que ambos comuniquem o quão longe querem ir com essa brincadeira e em que ponto vão decidir parar para que nenhum dos parceiros se deixe levar pelo entusiasmo e acabe por magoar o outro.  

“Desejo que a minha namorada me domine!”

 

“Namoro há um ano e sempre quis que a minha namorada me dominasse na cama. Gostaria que ela fosse mais agressiva, mas não sei como pedir-lhe que faça isso, tenho medo que ela me ache depravado.”

 

Miguel, Seixal

 

Caro leitor

Não existe mal algum em gostar de ser dominado quando faz amor com a sua namorada desde que a prática seja inofensiva. Existem milhares de homens e mulheres que partilham da sua preferência, o que pode até ser o caso da sua namorada. Pessoas que optam pela prática sexual sadomasoquista estabelecem regras bem claras para que nenhum dos intervenientes se magoe. Qualquer prática sadomasoquista deve ser consensual, segura, e deve ser terminada assim que um dos intervenientes o deseje. Seja ousado e provoque a sua namorada, leve um lenço de seda para a cama e peça que ela lhe vende os olhos, ou lhe ate as mãos enquanto fazem amor. Fale durante o acto sexual e diga à sua namorada como quer que o toque, isso pode ser bastante excitante para ambos. Dessa forma com certeza que ela vai realizar os seus desejos.

 

“Gostaria que o meu namorado me algemasse à cama”

Tenho um fetiche recorrente e gostaria de o experimentar com o meu namorado. Queria que ele me algemasse à cama durante a relação sexual. Como fazer para lhe dizer?

Sara – Alfragide

 

Cara Leitora,

Realmente este assunto é bastante delicado e um pouco difícil de ser abordado, mas a melhor forma de conseguir realizar a sua fantasia será conversar com o seu namorado sobre esta questão. Considera-se este tipo de jogos como fazendo parte do chamado Sadismo, no qual a pessoa que controla tem prazer através do sofrimento do outro, embora o Sadismo faça parte integrante das relações humanas mais elementares e seja vivido consoante os
preconceitos de cada indivíduo. Nos jogos Sadomasoquistas, de acordo mútuo, a cada sádico corresponde uma vítima, o masoquista, e é necessário existir por parte de ambos um acordo. É necessário que tenham atenção aos instrumentos utilizados, para que os actos não provoquem dor. Como tal, em vez de utilizar as algemas que poderão provocar ferimentos, usem gravatas ou lenços em que os nós sejam fáceis de desapertar, se por qualquer razão for necessário. Deve responder de forma calma e serena a todas as dúvidas que ele lhe colocar, e se por qualquer motivo ele não aceitar, seja compreensiva e tente entender as suas razões. Terão ambos que acordar para que, assim que um de vós se sinta desconfortável, o jogo termine, de modo a que não provoque qualquer tipo de dor.

 

“Desejo que a minha namorada me domine!”

 

 

 
 
“Namoro há um ano e sempre quis que a minha namorada me dominasse na cama. Gostaria que ela fosse mais agressiva, mas não sei como pedir-lhe que faça isso, tenho medo que ela me ache depravado.”2011-09-13
 
Miguel, Seixal
 
Caro leitor
Não existe mal algum em gostar de ser dominado quando faz amor com a sua namorada desde que a prática seja inofensiva. Existem milhares de homens e mulheres que partilham da sua preferência, o que pode até ser o caso da sua namorada. Pessoas que optam pela prática sexual sadomasoquista estabelecem regras bem claras para que nenhum dos intervenientes se magoe. Qualquer prática sadomasoquista deve ser consensual, segura, e deve ser terminada assim que um dos intervenientes o deseje. Seja ousado e provoque a sua namorada, leve um lenço de seda para a cama e peça que ela lhe vende os olhos, ou lhe ate as mãos enquanto fazem amor. Fale durante o acto sexual e diga à sua namorada como quer que o toque, isso pode ser bastante excitante para ambos. Dessa forma com certeza que ela vai realizar os seus desejos.
 
 
Tire todas as suas dúvidas em sexologia@sapo.pt

“Gostava de ser algemada!”

“Já há muitos anos
que tenho um fetiche que gostaria de o experimentar com o meu namorado. Queria
que ele me algemasse à cama durante a relação sexual. Como hei-de fazer para
lhe dizer? Namoramos há 3 meses e não quero que ache que sou uma tarada
sexual!”

 

Sara, Almada

 

Cara Leitora,

Realmente este assunto é bastante delicado e um pouco
difícil de ser abordado, mas a melhor forma de conseguir realizar a sua
fantasia será conversar com o seu namorado sobre esta questão. Considera-se
este tipo de jogos como fazendo parte do chamado Sadismo, no qual a pessoa que
controla tem prazer através do sofrimento do outro, embora o Sadismo faça parte
integrante das relações humanas mais elementares e seja vivido consoante os
preconceitos de cada indivíduo. Nos jogos Sadomasoquistas, de acordo mútuo, a
cada sádico corresponde uma vítima, o masoquista, e é necessário existir por
parte de ambos um acordo. É necessário que tenham atenção aos instrumentos
utilizados, para que os actos não provoquem dor. Como tal, em vez de utilizar
as algemas que poderão provocar ferimentos, usem gravatas ou lenços em que os
nós sejam fáceis de desapertar, se por qualquer razão for necessário. Deve
responder de forma calma e serena a todas as dúvidas que ele lhe colocar, e se
por qualquer motivo ele não aceitar, seja compreensiva e tente entender as suas
razões. Terão ambos que acordar para que, assim que um de vós se sinta
desconfortável, o jogo termine, de modo a que não provoque qualquer tipo de
dor.