Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“O sexo oral pode danificar a uretra?”

 Couple hugging, woman looking worried - ISF22299 - Image Source/Westend61

"O meu namorado sente dores quando urina e quando ejacula. Nenhum de nós teve outro parceiro sexual e nenhum de nós tem infeções sexualmente transmissíveis. Andámos a pesquisar na Internet e temos receio que ele tenha uma inflamação. Será que o sexo oral pode danificar a uretra?"

 

Vanessa, Guimarães

 

Cara leitora,

pela informação que dá não refere se o seu namorado sente dor sempre que urina ou ejacula, ou apenas de vez em quando. Numa questão desta natureza é fundamental e imperativo que ele seja visto por um médico especialista. É relativamente comum os homens sentirem ardor ou desconforto quando urinam imediatamente após a ejaculação, o que sucede devido à fricção aplicada à uretra durante a masturbação, o sexo anal ou vaginal. No caso do sexo oral esta irritação provocada aos tecidos da uretra é menor, por isso em princípio não terá sido essa a causa do desconforto e dor que refere. Esta dor pode também dever-se a uma infeção ou inflamação da uretra, da próstata ou do epididimo, canal que leva o esperma dentro dos testículos. Tanto as infeções sexualmente transmissíveis como as que se transmitem de outro modo podem afetar todas estas partes do sistema reprodutor. A alergia aos ingredients usados na composição dos preservativos e lubrificantes também pode causar esse desconforto. Por isso, é aconselhável que ele consulte um médico para averiguar o que se está a passar.

“Ela engasga-se quando me faz sexo oral!”

“Tenho um pénis de tamanho normal mas a minha namorada não consegue fazer-me sexo oral, pois engasga-se logo que começa a introduzir o pénis na boca. Ambos gostamos de o fazer, mas ela não consegue evitar engasgar-se. O que podemos fazer?”

Pedro, Damaia

 

Caro leitor,

O sexo oral pode ser muito prazeroso desde que ambos os parceiros se sintam confortáveis com ele e tenham vontade de fazê-lo. Assim, a comunicação com a sua namorada é fundamental para que possam encontrar uma solução, pois a ansiedade, o nervosismo, ou a relutância em fazê-lo – mesmo que ela não lhe diga – são fatores impeditivos do prazer. Uma vez que as bocas têm tamanhos aproximados e que refere que o seu pénis não tem um tamanho acima da média, ela pode estar a fazê-lo de uma forma que lhe provoca dificuldades. Deve experimentar gradualmente, procurando posições diferentes e explorando a totalidade do pénis, sem procurar introduzi-lo de uma só vez. Devem também explorar posições diferentes, sentados, deitados ou de forma criativa, para que encontrem a forma que anatomicamente resulta melhor para vós.

“Sexo oral… diferente!”

“Gostava que o meu namorado me fizesse sexo oral no ânus, mas não sei se isso é saudável, nem sei se ele não vai achar nojento. É uma prática comum entre os casais?”

 

Joana, Setúbal

Cara leitora,

Desde que seja consensual e que não ponha em risco a integridade física, mental e moral, nem a saúde dos envolvidos, qualquer atividade sexual pode ser usada para dinamizar a vida de casal. A prática que refere é apreciada por várias pessoas de ambos os sexos, sendo usada muitas vezes como preliminar ao sexo oral. Também chamada anilingus, consiste em beijar, acariciar com os lábios, lamber ou penetrar com a língua o ânus do parceiro. Uma vez que a abertura anal contém inúmeras terminações nervosas, esta prática pode proporcionar um prazer intenso. Para além de ser essencial uma boa higiene, a comunicação entre os dois é o fator-chave para que esta prática seja agradável para ambos. Portanto, partilhe este seu desejo com o seu namorado sem receio de ser mal-interpretada. Tenham sempre em atenção que esta região é muito delicada, e como tal são de evitar os gestos mais bruscos, que podem causar dor e danificar os tecidos. Mantenham uma higiene muito cuidada, porque esta área é propensa à existência de bactérias, e lembre-se que há infeções sexualmente transmissíveis por via anal, como a gonorreia, sendo aconselhável utilizar uma barreira dental (ou película aderente) como forma de proteção.

 

“Ele não diz nada!”

“Sempre que estou a fazer sexo oral ao meu marido, ou quando estamos a fazer amor, acho-o muito estranho porque ele nunca diz nada. Mesmo quando ejacula, não produz qualquer som! Sei que ele diz aos amigos que gosta de fazer amor comigo, e a sua linguagem corporal também o demonstra, mas por vezes sinto dúvidas. Porque é que ele não diz nada?”

 

Mariana, Coimbra

 

Cara leitora,

A forma como cada pessoa vive a relação sexual e se entrega ao prazer é muito variável e pessoal. Apesar de não se manifestar verbalmente, o seu marido pode estar a gemer e a gritar o seu nome dentro da sua cabeça! Existem variadas hipóteses para o seu comportamento. Ele pode ser mais inibido na expressão das suas sensações, pode ter receio que os vizinhos oiçam, pode ter certos bloqueios que nada têm a ver consigo. Pode, ainda, sentir-se nervoso ou inseguro. Pode referir, num tom ligeiro, que não se importava de ouvir uns gemidos ou sons quando fazem amor, mas sem ferir a sua suscetibilidade. Pode também dar o exemplo, sendo mais expressiva verbalmente, e deixando-o assim à vontade para fazer o mesmo. Ou pode, naturalmente, conversar com ele sobre o assunto e dizer-lhe que gostava de saber o que ele está a sentir, o que ele gostava que você lhe fizesse em cada momento, como gosta mais de ser estimulado…

“Sexo oral com aparelho nos dentes…”

60 Photos of Teenagers with Braces | Oral Answers

 

“Sou um jovem de 25 anos, gay, e uso aparelho nos dentes há cerca de meio ano. Devido ao confinamento tenho estado sozinho, mas tenho falado mais com um rapaz que estou a pensar conhecer melhor, o que me causou uma dúvida. Posso fazer sexo oral de forma segura sem preservativo? Tenho receio de magoar o meu parceiro ou de rasgar o preservativo devido ao aparelho…”

 

Hugo, Lagos

Caro leitor,

a proximidade física com uma pessoa que não conhece traz riscos acrescidos de contrair e propagar a Covid-19, pelo que não deve avançar para um envolvimento que possa pôr em risco a sua saúde e a dos outros. Se, tomando as medidas necessárias de segurança (estando ambos em isolamento social total durante pelo menos 14 dias), optarem por avançar, é imprescindível que use preservativo, pois independentemente daquilo que a outra pessoa lhe diz a verdade é que não o conhece nem sabe se contraiu infeções. É de lembrar que o facto de usar aparelho nos dentes aumenta drasticamente o risco de fazer cortes e feridas no pénis – e isso potencia a transmissão de infeções e doenças. Apesar de o HIV não ser facilmente transmitido através do sexo oral, há outras infeções sexualmente transmissíveis que se transmitem facilmente por esta via. Assim, o uso de preservativo é indispensável, e vai até ajudá-lo a ter maior cuidado, evitando assim magoar o seu parceiro. Uma vez que usa aparelho, explore outro tipo de estimulação – com o preservativo posto – e use a língua, os lábios, as mãos e outras partes do seu corpo para estimular o seu parceiro.

 

“Sexo oral… diferente!”

 503,401 BEST Wondering IMAGES, STOCK PHOTOS & VECTORS | Adobe Stock

“Gostava que o meu namorado me fizesse sexo oral no ânus, mas não sei se isso é saudável, nem sei se ele não vai achar nojento. É uma prática comum entre os casais?”

 

Joana, Setúbal

Cara leitora,

Desde que seja consensual e que não ponha em risco a integridade física, mental e moral, nem a saúde dos envolvidos, qualquer atividade sexual pode ser usada para dinamizar a vida de casal. A prática que refere é apreciada por várias pessoas de ambos os sexos, sendo usada muitas vezes como preliminar ao sexo oral. Também chamada anilingus, consiste em beijar, acariciar com os lábios, lamber ou penetrar com a língua o ânus do parceiro. Uma vez que a abertura anal contém inúmeras terminações nervosas, esta prática pode proporcionar um prazer intenso. Para além de ser essencial uma boa higiene, a comunicação entre os dois é o fator-chave para que esta prática seja agradável para ambos. Portanto, partilhe este seu desejo com o seu namorado sem receio de ser mal-interpretada. Tenham sempre em atenção que esta região é muito delicada, e como tal são de evitar os gestos mais bruscos, que podem causar dor e danificar os tecidos. Mantenham uma higiene muito cuidada, porque esta área é propensa à existência de bactérias, e lembre-se que há infeções sexualmente transmissíveis por via anal, como a gonorreia, sendo aconselhável utilizar uma barreira dental (ou película aderente) como forma de proteção.

“O meu namorado não quer fazer sexo oral…”

 

 

 

“O meu namorado já me fez uma vez sexo oral, o que me deixou completamente excitada, e gostava que ele o repetisse, mas cada vez que lhe peço para o fazer diz-me que não. Porque será que ele tem tanta aversão ao sexo oral?”

Carla, Bragança

 

Cara Leitora,

Os homens são bastante diferentes entre si, tendo preferências sexuais também diferentes. Sexo oral é algo que requer bastante confiança e cumplicidade entre parceiros. O mais indicado a fazer na sua situação é perguntar ao seu namorado o que é que ele não gostou da vez que o fizeram, e tentar evitar que isso volte a acontecer. Não deverá obrigá-lo, mas deve dizer-lhe que poderá parar assim que o desejar.

 

“Sexo oral… diferente!”

“Gostava que o meu namorado me fizesse sexo oral no ânus, mas não sei se isso é saudável, nem sei se ele não vai achar nojento. É uma prática comum entre os casais?”

 

Joana, Setúbal

Cara leitora,

Desde que seja consensual e que não ponha em risco a integridade física, mental e moral, nem a saúde dos envolvidos, qualquer atividade sexual pode ser usada para dinamizar a vida de casal. A prática que refere é apreciada por várias pessoas de ambos os sexos, sendo usada muitas vezes como preliminar ao sexo oral. Também chamada anilingus, consiste em beijar, acariciar com os lábios, lamber ou penetrar com a língua o ânus do parceiro. Uma vez que a abertura anal contém inúmeras terminações nervosas, esta prática pode proporcionar um prazer intenso. Para além de ser essencial uma boa higiene, a comunicação entre os dois é o fator-chave para que esta prática seja agradável para ambos. Portanto, partilhe este seu desejo com o seu namorado sem receio de ser mal-interpretada. Tenham sempre em atenção que esta região é muito delicada, e como tal são de evitar os gestos mais bruscos, que podem causar dor e danificar os tecidos. Mantenham uma higiene muito cuidada, porque esta área é propensa à existência de bactérias, e lembre-se que há infeções sexualmente transmissíveis por via anal, como a gonorreia, sendo aconselhável utilizar uma barreira dental (ou película aderente) como forma de proteção.

“Ele não diz nada!”

“Sempre que estou a fazer sexo oral ao meu namorado, ou quando estamos a fazer amor, acho-o muito estranho porque ele nunca diz nada. Mesmo quando ejacula, não produz qualquer som! Sei que ele diz aos amigos que gosta de fazer amor comigo, e a sua linguagem corporal também o demonstra, mas por vezes sinto dúvidas. Porque é que ele não diz nada?”

Mariana, Coimbra

 

Cara leitora,

A forma como cada pessoa vive a relação sexual e se entrega ao prazer é muito variável e pessoal. Apesar de não se manifestar verbalmente, o seu namorado pode estar a gemer e a gritar o seu nome dentro da sua cabeça! Existem variadas hipóteses para o seu comportamento. Ele pode ser mais inibido na expressão das suas sensações, pode ter receio que os vizinhos oiçam, pode ter certos bloqueios que nada têm a ver consigo. Pode, ainda, sentir-se nervoso ou inseguro. Pode referir, num tom ligeiro, que não se importava de ouvir uns gemidos ou sons quando fazem amor, mas sem ferir a sua suscetibilidade. Pode também dar o exemplo, sendo mais expressiva verbalmente, e deixando-o assim à vontade para fazer o mesmo. Ou pode, naturalmente, conversar com ele sobre o assunto e dizer-lhe que gostava de saber o que ele está a sentir, o que ele gostava que você lhe fizesse em cada momento, como gosta mais de ser estimulado…

“Ela acorda-me com sexo oral quase todos os dias!”

“A minha namorada é bastante desinibida a nível sexual, e por isso temos uma vida sexual bastante ativa. Quando dormimos juntos ela desperta-me de manhã fazendo-me sexo oral, será que isto é normal?”

Diogo, Mafra

 

Caro leitor

O leitor diz ter uma vida sexual bastante ativa com a sua namorada, que diz ser uma pessoa desinibida, por isso não vejo nada de mal no cenário que está a descrever. O único problema é se o leitor não gosta de sexo oral ou não lhe apetece ter relações sexuais de manhã, o que sucede com algumas pessoas, e dessa forma se não gosta desse tipo de comportamento explique à sua namorada as suas razões. Por outro lado, se lhe agrada esta forma divertida e estimulante de acordar, aproveite ao máximo o facto de ter uma namorada desinibida.