Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Devo fazer terapia sexual?”

“Tenho 46 anos, sou
casado há 17, mas de há uns três anos para cá eu e a minha esposa deixámos de
nos dar bem a nível sexual. Embora tivéssemos recorrido ao apoio de um
Psicólogo, continuámos com o mesmo problema. Será que consultar um especialista
em sexualidade poderá ajudar?”

Tiago, Seixal

 

Caro leitor,

Sem dúvida que sim, um sexólogo credenciado tem a
formação e o treino necessários para saber lidar com qualquer tipo de problema
do foro sexual. Se tem tido dificuldades a nível sexual com a sua esposa,
definitivamente aconselho-o a procurar um especialista. Além disso, é bastante
importante que ambos sejam sinceros durante a terapia tanto um com o outro como
com o vosso terapeuta, e que ambos participem activamente na terapia indo às
sessões, fazendo os exercícios recomendados em casa e demonstrando empenho e
vontade de melhorar, pois apenas com o empenho de ambos verão resultados.

Disfunção Erétil

De todos os problemas sexuais que os homens enfrentam, a disfunção erétil é a mais comum, e inclui vários problemas, desde a capacidade de manter a ereção por um curto período até conseguir obtê-la de todo. É muito normal que os homens passem por isto em algum período das suas vidas.

Uma das causas mais comuns da disfunção erétil é uma condição na qual embora o sangue aflua ao pénis da forma habitual durante a ereção, volta de novo para trás e o pénis fica flácido. Isto acontece devido ao sistema de bloqueio, que normalmente mantém o sangue dentro do pénis, deixar de funcionar convenientemente. Este problema pode ser ultrapassado utilizando um anel concebido medicamente que encaixa à volta da base do pénis.

Os problemas de ereção podem ter uma origem psicológica. Por exemplo, se estiver preocupado com o seu desempenho sexual, ou com sentimentos de inadequação, culpa, ou ressentimento, estes podem manifestar-se como uma incapacidade de ter ou manter a ereção. Esta forma pode ser muito fácil de diagnosticar porque será capaz de ter uma ereção por vezes, mas não com uma parceira. A terapia sexual é geralmente a melhor forma de tratamento deste problema.

 

 

Sexualidade feminina

94192_Papel-de-Parede-Garota-Deitada--94192_1680x1

 

Orgasmo feminino

Algumas mulheres só conseguem atingir o orgasmo com a prática da masturbação. Estudos norte-americanos indicam que apenas 29% das mulheres atingem o clímax durante a relação sexual, mas 82% o atingem com a prática da masturbação.

 

Falta de desejo sexual

O desejo sexual hipoativo pode ser causado por vários fatores tais como o stress, cansaço, estados depressivos ou de ansiedade. Os medicamentos tomados para a depressão e estados de ansiedade podem também ser responsáveis pela redução do desejo sexual feminino. Há casos em que os baixos níveis de testosterona podem causar falta de desejo sexual nas mulheres. A terapia sexual para casais ajuda homens e mulheres a encontrar formas de obter prazer. O viagra é apenas recomendado para os homens com dificuldade erétil, e não produz qualquer efeito nas mulheres. O viacreme é uma substância que as mulheres podem usar para estimular os órgãos genitais, no entanto esta não garante a obtenção do orgasmo.

 

Anorgasmia

Esta carateriza-se pela dificuldade ou incapacidade para atingir o orgasmo, e é bastante comum entre as mulheres, mesmo em casos nos quais a mulher sente desejo sexual e não tem dificuldade em sentir-se fisicamente excitada. Esta situação pode causar bastante frustração tanto na mulher como no parceiro. É recomendável alterar a medicação caso a mulher esteja a tomar qualquer tipo de medicamentos, e recorrer à prática de masturbação por parte da mulher de forma a que esta se sinta mais em sintonia com o seu corpo.

 

Vaginismo

Condição na qual a vagina entra em espasmo muscular durante a penetração do pénis, tornando o ato sexual doloroso. Para atenuar esta situação pode usar-se medicação para tranquilizar a mulher durante o ato sexual de forma a ajudar a reduzir a tensão muscular. Existe também uma Técnica de Terapia Sexual, na qual a mulher é encorajada a introduzir, suavemente, "cilindros de treino" de tamanhos diferentes na vagina de forma gradual. Ao habituar-se à presença destes objetos, a mulher começa a aliviar a tensão que sentia anteriormente.

 

Dispareunia

Esta verifica-se quando a mulher sente dores bastante fortes durante a penetração, fazendo com que a relação sexual seja dolorosa e descomfortável. Muitas mulheres acabam por evitar ter relações devido à ansiedade antecipada da dor que vão sentir durante o coito. Existem investigadores norte-americanos que defendem a existência de um gene responsável pela manifestação deste problema em mulheres, mas é necessário que haja ainda mais investigação feita a este respeito. O tratamento deste problema pode passar por medicação ou por cirurgia.

 

Secura vaginal

A menopausa marca o fim da fertilidade da mulher e ocorre, geralmente, entre os 45 e os 55 anos de idade. Durante a fase de preparação para a menopausa – perimenopausa, os níveis de estrogéneo oscilam e a ovulação torna-se inconstante. Nesta fase a mulher pode ter menstruação nalguns meses, seguindo-se de um período de ausência de vários meses. Os baixos níveis de estrogéneo na fase da menopausa e pós-menopausa podem fazer com que os lábios vaginais e a vulva sofram um enrugamento e secura e, mesmo que a mulher esteja excitada, não se dê uma lubrificação adequada. Neste caso, a mulher deve usar um gel lubrificante antes da relação sexual. Alguns médicos recomendam o Tratamento de Substituição Hormonal através de um creme de estrogéneo, comprimidos, ou adesivos que podem ajudar a aliviar os efeitos da menopausa.

“Como posso tê-la de volta?

“Terminei um namoro de quase 6 anos com a mulher que amo, sobretudo devido à minha incapacidade de fazê-la sentir-se desejada. No início da relação tínhamos relações sexuais com bastante frequência, o sexo era muito bom, mas isto durou apenas nos primeiros meses. A partir daí, à medida que íamos ganhando intimidade um com o outro, o desejo foi desaparecendo, cada vez tínhamos menos relações, até que recentemente chegámos a estar 3 ou 4 meses sem as fazer. Acho-a extremamente bonita e atraente, é uma pessoa que atrai a atenção dos outros homens pela suabeleza e sensualidade. A dificuldade para mim está em olhar para ela e vê-la como mulher que é, minha parceira, e desejá-la ao ponto de iniciar a relação sexual. Porque depois de a iniciarmos, normalmente sinto-me bem e o sexo é bom. Ela é uma pessoa com muita libido, e frequentemente tentava que tivéssemos sexo, mas eu sempre arranjava uma desculpa para que tal não acontecesse.Gostava de a recuperar e de mudar… O que posso fazer?

César, Peniche


Caro leitor,

os problemas de desejo sexual que descreve são cada vez mais frequentes, dado o estilo de vida stressante que muitos de nós temos hoje em
dia. Uma das maneiras de os resolver é encontrar alguém que tenha um desejo semelhante ao nosso – a frequência varia muito de pessoa para pessoa e a complementaridade de um casal varia muito ao longo do tempo. O desejo sexual, sendo uma das fases da resposta sexual humana, não é apenas espontâneo, como muita gente pensa. Pode surgir igualmente em resposta a estímulos que a pessoa considere excitantes, bonitos, românticos, adequados. Procure encontrar os seus, pode fazê-lo com a ajuda de um especialista ou pode fazê-lo sozinho e em casal. Não deixe de tentar, pois a sua
tendência para não precisar de ter relações sexuais pode ser “contrariada” pelo hábito e pela aprendizagem de comportamentos sexuais saudáveis e adequados a si, que lhe estimulem uma maior frequência, não só de comportamentos, como de pensamentos e de sentimentos. Leia, veja filmes, procure coisas de cariz sexual para se manter activo e para se estimular, mesmo que não tenha relação. A masturbação é saudável e deve mantê-la na sua rotina. Descubra quais são os estímulos que fazem parte da sua sexualidade e dê largas à sua imaginação. Se sentir que pode ainda beneficiar de terapia sexual. 

Os seguros de saude pagam para terapia sexual?

Tenho 58 anos e tenho necessidade de consultar um sexólogo, mas não sei se o meu seguro de saúde paga por esse tipo de serviços e eu não tenho dinheiro para pagar as consultas.

 

Ricardo, Coimbra,

 

Caro leitor,

 

As consultas de sexologia são uma vertente das consultas de psicologia, e infelizmente estas não são muitas vezes comparticipadas quer pelo estado quer pelos seguros de saúde. No entanto a melhor forma de saber e telefonar para a sua seguradora e perguntar. Pode também experimentar ligar para alguns sexólogos em Portugal e perguntar se eles tem comparticipação de algumas seguradoras, e se não, se eles fazem taxas especiais para clientes que não podem pagar muito dinheiro pelas consultas.

 

“Terapia sexual para salvar o meu casamento”

 

“Sou casada há 10 anos e eu e o meu marido sempre tivemos problemas relacionados com a sexualidade. Gostava de saber se fazer terapia sexual de casal pode realmente ajudar. Obrigada. ”
Vanda
Cara Leitora,
Muitas pessoas estão ainda um pouco apreensivas quanto à inclusão de técnicos de sexologia para ajudar a superar os problemas conjugais. Segundo a Organização Mundial de Saúde – OMS – tratar da saúde sexual é um direito que assiste a qualquer cidadão. Acredite que a intervenção de um técnico especializado pode ajudar a ultrapassar situações decorrentes de disfunções sexuais que, por vezes, prejudicam a vivência entre o casal. O papel principal de um terapeuta reside em conseguir detectar problemas e encontrar uma solução que ajude a superar a situação.
Estas terapias demonstram uma maior eficácia se forem feitas pelo casal. Assim sendo, não tema recorrer à ajuda de um terapeuta sexual, pois a sua ajuda poderá ser determinante.

“Os seguros de saúde pagam a terapia sexual?”

Tenho 58 anos e sinto necessidade de consultar um sexólogo, mas não sei se o meu seguro de saúde paga esse tipo de serviços, e eu não tenho dinheiro para pagar as consultas…
João, Covilhã
Caro leitor,
As consultas de Sexologia são uma vertente das consultas de Psicologia, e infelizmente estas muitas vezes não são comparticipadas nem pelo Estado nem pelos seguros de saúde. No entanto, a melhor forma de saber é telefonar para a sua seguradora e perguntar. Pode também ligar para alguns sexólogos em Portugal e perguntar se eles têm comparticipação de algumas seguradoras e, caso não tenham, se fazem taxas especiais para clientes que não podem pagar muito dinheiro pelas consultas.

“O que posso fazer para resolver os meus problemas sexuais?”

 

 

“Tenho problemas relacionados com a sexualidade e como sempre tive uma educação conservadora não me sinto à vontade a desabafar com ninguém sobre eles. Mas sinto-me cada vez mais angustiada e não sei o que posso fazer para resolver este bloqueio sexual que sinto.”

Sandra, Matosinhos

 

Cara Leitora,

Muitas pessoas estão ainda um pouco apreensivas a respeito do recurso a técnicos de sexologia para ajudar a superar os problemas conjugais. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), tratar da saúde sexual é um direito que assiste a qualquer cidadão. Acredite que a intervenção de um técnico especializado pode ajudar a ultrapassar situações decorrentes de disfunções sexuais que, por vezes, prejudicam a convivência do casal. O papel principal de um terapeuta reside em conseguir detectar o problema e encontrar soluções que ajudem a superá-lo.

Estas terapias demonstram uma maior eficácia se forem feitas pelo casal. Assim sendo, não tema recorrer à ajuda de um terapeuta sexual, pois a sua ajuda poderá ser determinante.

Terapia Hormonal

 

Tenho 30 anos e sou saudável, mas nunca senti muito desejo sexual. Uma amiga falou-me de terapia hormonal, e eu gostaria de saber do que se trata.
Anita, Lisboa
Cara Leitora,
A falta de desejo sexual é bastante comum entre as mulheres, principalmente quando o stress do dia a dia se torna excessivo. Existem hormonas, como por exemplo a testosterona, que quando tomadas em forma de suplementos podem fazer aumentar o desejo sexual. A Deidropiandrosterona, uma substância química que causa o aumento de testosterona nos homens e progesterona e estrogénio nas mulheres, é por vezes receitada por médicos com o objectivo de aumentar o nível de energia e bem-estar, em ambos os sexos. Os resultados deste tipo de terapia não estão totalmente provados e ela acarreta alguns efeitos secundários, por isso um médico especializado em sexualidade será a pessoa mais indicada para decidir se este tipo de terapia é aconselhável para si.

Problemas Masculinos

Há vários problemas sexuais que podem afectar os homens em diversas fases da vida. Infelizmente, muitos homens sentem relutância em falar sobre as suas vidas sexuais com um médico. Lembre-se que a maioria dos problemas sexuais podem ser tratados com a ajuda de um profissional e ser bem sucedidos.

 

Problemas de erecção

 

De todos os problemas sexuais que os homens enfrentam, a disfunção eréctil é a mais comum, e inclui vários problemas, desde a capacidade de manter a erecção por um curto período até conseguir obtê-la de todo. É muito normal que os homens passem por isto em algum período das suas vidas.

Uma das causas mais comuns da disfunção eréctil é uma condição na qual embora o sangue aflua ao pénis da forma habitual durante a erecção, volta de novo para trás e o pénis fica flácido. Isto acontece devido ao sistema de bloqueio, que normalmente mantém o sangue dentro do pénis, deixar de funcionar convenientemente. Este problema pode ser ultrapassado utilizando um anel concebido medicamente que encaixa à volta da base do pénis.

Os problemas de erecção podem ter uma origem psicológica. Por exemplo, se estiver preocupado com o seu desempenho sexual, ou com sentimentos de inadequação, culpa, ou ressentimento, estes podem manifestar-se como uma incapacidade de ter ou manter a erecção. Esta forma pode ser muito fácil de diagnosticar porque será capaz de ter uma erecção por vezes, mas não com uma parceira. A terapia sexual é geralmente a melhor forma de tratamento deste problema.

 

Doença e envelhecimento

 

Há várias doenças que podem afectar a função eréctil, e o mesmo acontece com certas medicações. A impotência é mais provável na terceira idade, embora felizmente não seja inevitável. À medida que envelhece, os níveis da hormona masculina Testosterona descem e um dos efeitos secundários pode ser erecção enfraquecida. Isto não é necessariamente um problema, precisa apenas de descobrir aquilo que lhe dá uma melhor erecção, geralmente muita fricção directa na zona genital. Também pode ponderar a hipótese de fazer um tratamento hormonal.

 

Factos sexuais

Fumadores e alcoólicos

 

Há dois grupos de homens que estão particularmente vulneráveis à impotência: fumadores e alcoólicos. O consumo excessivo de tabaco e de álcool pode danificar os sistemas nervosos e cardiovasculares. O abuso de álcool faz com que os níveis de Testosterona baixem e interfere com os impulsos nervosos para os genitais. Também prejudica a orientação sexual e predispõe a anormalidades no esperma.