Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Será que entrei na Andropausa?

andropausa.jpeg

Tenho 55 anos e ultimamente tenho notado diferenças a nível emocional e sexual, e por isso me pergunto se estarei a entrar na andropausa?

 José

Caro Leitor,

Da mesma forma que a menopausa provoca alterações no corpo e no comportamento das mulheres, a andropausa manifesta-se nos homens provocando oscilações a nível físico e psicológico. Na andropausa, os homens podem observar mudanças a nível do desempenho sexual, bem como algumas alterações físicas e psicológicas. A andropausa define-se pela diminuição do nível de testosterona no homem, resultando no enfraquecimento do desejo sexual, bem como na dificuldade em manter a erecção. Outros sintomas que podem ser resultantes da andropausa são a diminuição do nível de energia física e a depressão. Convém referir que esta não é uma regra básica, pois cada homem é um caso. Porém, se achar necessário aconselho-o a dissipar as suas dúvidas junto de um especialista.

 

Será que entrei na Andropausa?


Tenho 58 anos e ultimamente tenho notado diferenças a nível emocional e sexual, e por isso me pergunto se estarei a entrar na andropausa?

 

José, Santarém

 

Caro Leitor,

Da mesma forma que a menopausa provoca alterações no corpo e no comportamento das mulheres, a andropausa manifesta-se nos homens provocando oscilações a nível físico e psicológico. Na andropausa, os homens podem observar mudanças a nível do desempenho sexual, bem como algumas alterações físicas e psicológicas. A andropausa define-se pela diminuição do nível de testosterona no homem, resultando no enfraquecimento do desejo sexual, bem como na dificuldade em manter a erecção. Outros sintomas que podem ser resultantes da andropausa são a diminuição do nível de energia física e a depressão. Convém referir que esta não é uma regra básica, pois cada homem é um caso. Porém, se achar necessário aconselho-o a dissipar as suas dúvidas junto de um especialista.

“O que é a Terapia Hormonal?”

 

“Sou uma mulher de 32 anos sexualmente activa. Embora ame o meu namorado, a verdade é que nunca senti muito desejo sexual, com qualquer dos parceiros que já tive. Através de pesquisas feitas na Internet descobri que existe um tratamento chamado terapia hormonal, e gostaria de saber melhor do que se trata.
Vânia, Sesimbra
 
Cara Leitora,
A falta de desejo sexual é bastante comum entre as mulheres, principalmente quando o stress do dia-a-dia se torna excessivo. Existem hormonas, como por exemplo a testosterona, que quando tomadas em forma de suplementos podem fazer aumentar o desejo sexual. A Deidropiandrosterona, uma substância química que causa o aumento de testosterona nos homens e progesterona e estrogénio nas mulheres, é por vezes receitada por médicos com o objectivo de aumentar o nível de energia e bem-estar, em ambos os sexos. Os resultados deste tipo de terapia não estão totalmente provados e ela acarreta alguns efeitos secundários, por isso uma consulta pessoal com um médico especializado em sexualidade será o mais indicado para decidir se este tipo de terapia é aconselhável para si.  
 

“Quais são as consequências da andropausa?”

 

“Desde que fiz 55 anos que já noto algumas diferenças no que respeita à minha vida sexual. Sei que estou a entrar na andropausa mas preocupa-me que efeitos esta nova fase virá a ter na minha vida sexual.”
Jerónimo
 
 
Caro Leitor,
A andropausa ou climatério masculino pode causar a diminuição dos testículos e a redução da produção das hormonas masculinas, a testosterona, bem como a falta de desejo sexual. Com a entrada na andropausa o homem pode ficar mais susceptível a ter problemas de erecção, falta de apetite sexual, diminuição da massa muscular, alterações de humor e doenças cardiovasculares. Esta é mais uma das etapas pelas quais os homens passam naturalmente, assim, o melhor que tem a fazer é procurar encarar esta situação da melhor maneira possível. É inevitável que note algumas alterações físicas e comportamentais relacionadas com a Andropausa, mas de modo a certificar-se que realmente já entrou nesta fase pode realizar testes de sangue para que possa verificar o índice de testosterona. 
 

Receitas Afrodisíacas (Ostras)

 

 

 

 

 

Ostra: A Diva dos Afrodisíacos

 

As ostras são hermafroditas do reino animal, sendo as alquimistas do oceano, e são o afrodisíaco mais conhecido no mundo. Ao longo da História, as ostras e a dança amorosa do desejo parecem ter sido feitas uma para a outra. As ostras nascem na espuma dos estuários e nas marés de baías, e por esta razão estão associadas com o nascimento de Afrodite e de Vénus, as deusas do amor Grega e Romana. O amante mais famoso do mundo, “Casanova”, considerava as ostras como “um estímulo para o espírito e para o amor”. Ele comia, rotineiramente, cinquenta ostras ao pequeno-almoço colocando-as nos lábios e corpo das suas amantes e comendo uma por uma.

Porque é que as ostras estimulam o paladar e a paixão? Existe uma prova clara, química e fisiológica que suporta há mais de 2 milhões de anos a sua justificação histórica, anedótica e mitológica. As ostras são referidas muitas vezes como o “leite do oceano”, são poderosamente nutritivas, de baixas gorduras e calorias. (uma ostra tem à volta de 10 calorias) e são compostas por Zinco, um elemento importante para a produção de testosterona, o qual aumenta a actividade sexual tanto do homem como da mulher.

 

 

Ostras Salteadas:

 

Este é um prato simples de preparar. Quando comprar as ostras lembre-se que as ostras frescas devem vir com os seus próprios fluidos, e que o líquido da ostra deve ser claro. A maneira correcta de comer ostras é deixá-las na boca por alguns segundos, de forma a apreciar o seu sabor, e depois engoli-las sem as mastigar. Prepare este prato delicioso e sirva com pão de alho e salada para uma refeição amorosa completa.

 

- 2 Dúzias de ostras frescas

- ½ Chávena de farinha

- Sal e Pimenta preta

- 2 Ovos

- ½ Chávena de miolo de pão

- 2 Colheres de sopa de azeite

- 1 Colher de sopa de margarina

- Rodelas de limão

- Molho de Cocktail

 

Abra as ostras e ponha-as num prato

Misture a farinha com o sal e pimenta, e mexa os ovos pondo 2 colheres de sopa de água.

Coloque as ostras, uma de cada vez na farinha e depois o ovo batido com o miolo de pão.

Ferva o azeite com a margarina num recipiente grande e pesado.

Vá salteando as ostras, virando-as até as ostras estarem douradas, mais ou menos 3 minutos.

Servir com rodelas de limão e molho de Cocktail

 

 

Ostras naturais:

 

- 1 Dúzia de ostras

- 1 Limão cortado em pedaços

- Gelo picado

 

Abra as ostras cuidadosamente sem perder o sumo natural das mesmas.

Coloque-as abertas num prato sobre gelo picado.

Corte o limão em 4 pedaços e ponha um pouco do sumo de limão em cada ostra antes de a comer.

 

 

 

Receitas afrodisíacas: ostras

5-modos-de-preparar-ostras-2.jpg

 

As ostras são hermafroditas do reino animal, sendo as alquimistas do oceano, e são o afrodisíaco mais conhecido no mundo. Ao longo da história, as ostras e a dança amorosa do desejo parecem ter sido feitas uma para a outra. As ostras nascem na espuma dos estuários e nas marés de baías, e por esta razão estão associadas com o nascimento de Afrodite e de Vénus, as deusas do amor grega e romana. O amante mais famoso do mundo, Casanova, considerava as ostras como "um estímulo para o espírito e para o amor". Ele comia, rotineiramente, cinquenta ostras ao pequeno-almoço colocando-as nos lábios e corpo das suas amantes e comendo uma por uma.

 

Porque é que as ostras estimulam o paladar e a paixão? Existe uma prova clara, química e fisiológica que suporta há mais de 2 milhões de anos a sua justificação histórica, anedótica e mitológica. As ostras são referidas muitas vezes como o "leite do oceano", são poderosamente nutritivas, de baixas gorduras e calorias (uma ostra tem à volta de 10 calorias) e são compostas por zinco, um elemento importante para a produção de testosterona, o qual aumenta a atividade sexual tanto do homem como da mulher.

 

Ostras salteadas:

Este é um prato simples de preparar. Quando comprar as ostras lembre-se que as ostras frescas devem vir com os seus próprios fluidos, e que o líquido da ostra deve ser claro. A maneira correcta de comer ostras é deixá-las na boca por alguns segundos, de forma a apreciar o seu sabor, e depois engoli-las sem as mastigar. Prepare este prato delicioso e sirva com pão de alho e salada para uma refeição amorosa completa.

- 2 Dúzias de ostras frescas

- ½ Chávena de farinha

- Sal e Pimenta preta

- 2 Ovos

- ½ Chávena de miolo de pão

- 2 Colheres de sopa de azeite

- 1 Colher de sopa de margarina

- Rodelas de limão

- Molho de Cocktail

Abra as ostras e ponha-as num prato. Misture a farinha com o sal e pimenta, e mexa os ovos pondo 2 colheres de sopa de água. Coloque as ostras, uma de cada vez na farinha e depois o ovo batido com o miolo de pão. Ferva o azeite com a margarina num recipiente grande e pesado. Vá salteando as ostras, virando-as até as ostras estarem douradas, mais ou menos 3 minutos. Servir com rodelas de limão e molho de cocktail.

 

Ostras naturais:

- 1 Dúzia de ostras

- 1 Limão cortado em pedaços

- Gelo picado

Abra as ostras cuidadosamente sem perder o sumo natural das mesmas. Coloque-as abertas num prato sobre gelo picado. Corte o limão em 4 pedaços e ponha um pouco do sumo de limão em cada ostra antes de a comer.

Mitos e realidades da menopausa e da andropausa

sintomas-menopausa.jpg

 

Com a falta da menstruação nas mulheres de meia idade, torna-se real a chegada da menopausa para o sexo feminino. Mas no caso dos homens, a andropausa é também uma realidade?

 

Na verdade, enquanto que a menopausa feminina chegará, um dia, mais tarde ou mais cedo, para todas as mulheres, no caso do sexo masculino, a andropausa pode ou não verificar-se, pois esta nada mais é do que a diminuição de androgénios, que provocam no homem mais velho a diminuição dos níveis de testosterona, um enfraquecimento muscular e uma diminuição da actividade sexual. No entanto, nem todos os homens são iguais e, portanto, o seu organismo reage de forma diferente às mudanças da idade.

 

Hoje em dia, há ainda a possibilidade de reposição no organismo dos níveis de testosterona, o que permite ao sexo masculino aumentar a sua qualidade de vida sexual até mais tarde.

 

Relacionados com a menopausa feminina existem também muitos mitos que precisam ser desmistificados, bem como esclarecer as verdadeiras situações às quais as mulheres poderão estar sujeitas.

 

Por exemplo:

- Na menopausa a mulher pode sentir afrontamento? Verdade.

Há ondas de calor que podem acontecer no organismo da mulher, a qualquer hora do dia, , que nada mais são do que sintomas vasomotores.

- Só a partir dos 50 anos é que a mulher entra na menopausa? Mentira.

Normalmente, uma mulher entra na menopausa entre os 45 e os 50 anos. Porém, cerca de dois antes, a mulher pode começar a sentir alguns sintomas.

- A pele da mulher pode sofrer algumas alterações? Verdade.

Devido à redução da hormona feminina, estrógenio, há também uma diminuição de colagéno. A pele fica mais fina e há inevitavelmente um aumento das rugas na pele.

- A mulher pode engordar quando decide fazer medicação para reposição hormonal? Por vezes.

Mesmo sem uso de medicação de reposição hormonal, a mulher pode sofrer um aumento de peso, ainda durante a pré-menopausa.

“Como saber se entrei na Andropausa?”

 

 
 
“Tenho 58 anos e ultimamente tenho notado diferenças no meu desempenho sexual. Mesmo a nível emocional sinto-me diferente, e gostaria que me explicasse como posso saber se estarei a entrar na andropausa. Quais são os sintomas mais comuns?”
 
Paulo, Guarda
 
Caro Leitor,
Da mesma forma que a menopausa provoca alterações no corpo e no comportamento das mulheres, a andropausa manifesta-se nos homens provocando oscilações a nível físico e psicológico. Na andropausa, os homens podem observar mudanças a nível do desempenho sexual, bem como algumas alterações físicas e psicológicas. A andropausa define-se pela diminuição do nível de testosterona no homem, resultando no enfraquecimento do desejo sexual, bem como na dificuldade em manter a erecção. Outros sintomas que podem ser resultantes da andropausa são a diminuição do nível de energia física e a depressão. Convém referir que esta não é uma regra básica, pois cada homem é um caso. Porém, se achar necessário aconselho-o a dissipar as suas dúvidas junto de um especialista.
 

Será que vou ficar impotente?

maxresdefault.jpg

 

"Tenho tido alguns problemas na minha vida que me têm afetado como homem. Eu acho que o stress me está a tornar impotente, existe alguma cura para o meu problema?"

Ângelo - Amora

 

Caro leitor,

Vários são os motivos que podem afetar o desempenho sexual do homem, sendo a maioria de origem física ou emocional. Recomendo-lhe que se dirija primeiro a um médico urologista para medir os seus níveis de testosterona. Se estes valores forem normais, então terá de continuar a procurar a causa do seu problema. Algumas perguntas podem ajudá-lo a encontrar a origem do seu problema. Houve alguma mudança significativa na sua vida? Começou a tomar alguma medicação nova? Tem diabetes, problemas de tensão ou de coração? Esta a passar por um período de bastante tensão na sua vida? Estas são algumas das causas mais comuns de impotência, por isso se o leitor respondeu sim a alguma destas perguntas então descobriu a causa do seu problema. Quanto a saber se a impotência tem cura, devo dizer-lhe que com os avanços da medicina, a maior parte dos casos tem cura, por isso esteja descansado. Comece por identificar as possíveis causas físicas ou médicas para o seu problema, se não encontrar quaisquer razões físicas que o possam explicar, então esta é de origem psicológica. Talvez stress ou ansiedade o estejam a afetar, assim tente relaxar.

"A impotência tem cura?"

 

"O meu marido anda com problemas na vida dele, o que o tem afectado como homem. Eu acho que o stress o está a tornar impotente, há cura?..."


Cara Leitora:

Vários são os motivos que podem afectar o desempenho sexual do homem, quer sejam factores emocionais, físicos, ou mesmo ambos. Recomendo-lhe que vá a um médico urologista para realizar alguns exames e medir os níveis de testosterona do seu marido. Se estes valores forem normais então terão de procurar outras possíveis causas para o problema. O seu marido está a tomar alguma medicação? tem diabetes? problemas de tensão ou coração? Estas são algumas das causas mais comuns de impotência. Quanto a saber se a impotência tem cura, com o desenvolvimento da medicina, cada vez mais existem soluções de todo o tipo, por isso esteja descansada. Comecem por identificar possíveis causas físicas ou medicas para o problema, se estas forem excluídas então trata-se de algo do foro psicológico, talvez stress, ansiedade, ou mesmo problemas matrimoniais. Dê ao seu companheiro o apoio de que ele necessita e verá que tudo irá correr pelo melhor.