Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

O meu tio abusa da filha...

maxresdefault.jpg

 

"Tenho dois primos de quem sou muito amigo, e um deles disse-me que uma noite viu o pai dele a abusar da própria filha, irmã dele. Queria muito ajudá-los mas não sei como devo proceder. Será que me poderia ajudar?"

Bruno - Santo Tirso

 

Caro leitor,

A situação que me descreve é bastante preocupante, dado que se trata de uma violação, sendo também incesto. Como tal, é muito difícil para uma jovem lidar com este tipo de investidas sexuais por parte de um adulto, principalmente sendo este o próprio pai. Tal situação deve ser informada imediatamente às entidades competentes, pois é punida por lei e, como tal, o pai da sua prima deve ser detido. O incesto significa a prática de relações sexuais com indivíduos da mesma família e com os quais não podemos casar, tal como irmãos, pais, etc. Infelizmente o abuso sexual de menores acontece, na sua maioria, entre membros da mesma família, principalmente entre pais e filhos, e entre irmãos. Estes indivíduos, vítimas de incesto, evidenciam perturbações muito graves a nível psicológico quando adultos. A melhor atitude que poderá tomar em relação à sua prima é informá-la e apoiá-la neste momento tão difícil para ela, incentivando-a a que não pode consentir que isto aconteça, e que deve apresentar queixa, mesmo tratando-se do pai. Fale com ela e com o seu primo, juntos tentem saber qual a sua relação com a mãe de modo a que possam falar com ela, se não se sentirem à vontade para tal, pois nem sempre isto acontece, tente que ela se dirija a uma pessoa adulta com a qual haja confiança, tal como um médico, um professor ou um psicólogo. Qualquer um deles poderá agir de forma que esta situação pare e não haja mais ameaças à saúde tanto física como psicológica da sua prima.

“Tenho a fantasia de ser violada…”

“Tenho 26 anos e sou virgem. Penso muitas vezes no que será estar com um homem, pois nunca tive um relacionamento. No entanto, por vezes tenho fantasias violentas, em que acabo por ser violada, e isso excita-me imenso. Tenho um bocado de receio desta fantasia, tenho medo de me envolver com alguém que acabe por ser agressivo para mim. Por vezes penso que o melhor era ficar sozinha para o resto da vida, mas ao mesmo tempo gostava de ser amada e acarinhada. Nem sei o que pensar…”

Sónia, Évora

Cara leitora,

Deve ser assustador ter esses pensamentos recorrentes que associam a intimidade à violência, mas é bastante corajoso da sua parte admiti-lo, pois são fantasias mais comuns do que supõe. Há muitas pessoas que têm receios sexuais que interferem com a sua capacidade de relacionamento íntimo com os outros, mas é importante encontrar as raízes deste tipo de comportamento para poder ultrapassá-lo. Mesmo que não tido a experiência passada de uma violação, poderá ter assistido a algo que a marcou profundamente, possivelmente quando era ainda muito pequena para processar conscientemente a informação a que assistiu, o que lhe provocou medos, talvez inconscientes. Por outro lado, há pessoas que nunca vivenciaram nada relacionado com violência sexual, mas por tanto medo dela acabam por não conseguir tirar essa ideia da cabeça. Se fizer o exercício de não querer pensar numa laranja, verá que a sua mente faz com que ela não lhe saia do pensamento. Quanto mais reprimimos algo, mais presente se torna. Seja qual for o seu caso, é aconselhável procurar um psicólogo que a ajude a desmistificar este receio que tem, para que seja capaz de abrir o seu coração para o amor sincero e para partilhar a sua intimidade com outra pessoa.

“É possível violar um homem?”

Gostaria de saber se é possível os homens serem violados? Parece-me difícil que possa acontecer mas às vezes ouço falar disso nas revistas, será verdade?

Carlos, Alvor

 

Caro leitor,

Compreendo a sua dúvida, uma vez que a maioria das pessoas pensa que se o homem não quiser ter relações sexuais basta dizer não e não há quem o obrigue, mas infelizmente a realidade é bem diferente. Segundo uma estatística Norte-Americana uma em cada 10 vitimas de abuso sexual é um homem, e 86% dos homens que foram abusados sexualmente foram abusados por outros homens. As estatísticas também indicam que os homens têm menos probabilidade de apresentar queixas às autoridades depois de um caso de abuso sexual do que as mulheres quer por vergonha ou medo que ninguém acredite. Por isso como vê, os homens podem sofrer abusos sexuais da mesma forma que as mulheres.