Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Tema de hoje: relacionamento

Tenho 22 anos e tive a minha primeira relação sexual há pouco tempo, mas não sangrei. Eu queria fazer amor com o meu namorado e gostei bastante, ele foi muto querido, mas estou preocupada se ele agora me achará mentirosa por isto. Como sei se já perdi a minha virgindade?
 
Paula Cristina
 
Cara Paula Cristina,
 
A virgindade pode ser interpretada de maneiras diferentes: pela cultura e momento histórico, pela medicina e biologia e psicologicamente. Pode sentir a sua perda de virgindade como o momento de ter relações sexuais pela primeira vez – e nem precisar de ter relações com penetração para deixar de se sentir virgem.
Como pode sentir que o importante é o sangramento pelo rompimento fisiológico do hímen, uma membrana fina e elástica que cobre parcialmente a entrada da vagina e que, na maioria dos casos, permite a saída da menstruação ou a entrada de tampões. Na prática de alguns desportos ou actividades pode dar-se o rompimento ou a diminuição da superfície do hímen, pelo que não o rasgar e sangrar nas relações sexuais não é garantia de virgindade.
 
Não se preocupe tanto com esta questão, mas sim com o prazer que pode sentir na intimidade da relação com para seu parceiro ou parceira. Se se sentem seguros e protegidos dos riscos da gravidez indesejada e infecções sexualmente transmissíveis (de que podem falar os dois e com um médico ginecologista ou de família) e escolheram iniciar a vossa vida sexual, como me aprece pelas suas palavras, aproveitem as sensações de prazer e entreguem-se à descoberta da intimidade e do que mais gostam de fazer e de receber.

Virgindade: a primeira vez

Young_Couple_In_Love_1920X1200_Wallpaper_6640.jpg

 

Iniciar a vida sexual é uma escolha individual. E essa decisão deve ser pensada e tomada com maturidade. A primeira relação sexual gera muitas dúvidas: vai doer? Vai sangrar? É o momento certo? Não existe uma altura certa para estar preparado para iniciar a vida sexual. A primeira vez é sempre diferente de pessoa para pessoa.

 

A iniciação sexual, para a maioria das pessoas, é uma situação de ansiedade, acompanhada de excitação e medo. Ela pode representar o amor, mas pode, também, ser fonte de sentimentos de frustração e de desilusão. Ninguém esquece a primeira relação sexual, porque normalmente imaginamos uma coisa e criamos muitas expetativas de como vai ser esse momento, o que muitas vezes não corresponde à realidade.

 

Ser virgem significa nunca ter tido um contato sexual, para outros, significa nunca ter tido uma relação com penetração; outros ainda, atribuem o rompimento do hímen à perda da virgindade. Não existe portanto uma definição consensual do que é a virgindade. O significado mais comum atribuído à virgindade tem a ver com a prática sexual, em que existe a penetração do pénis na vagina havendo o rompimento do hímen.

 

Alguns hímenes rompem logo nas primeiras relações sexuais e provocam um sangramento, enquanto outros, por serem mais flexíveis, alargam e não sangram. Mas também se pode dar o caso de uma mulher não ter hímen, ter nascido sem ele.

Virgem aos 30

Olá, gostaria de
uma ajuda da vossa parte.

Bom, tenho 30 anos... e ainda nunca fiz sexo... resumindo, sou considerada
virgem... A questão é que estou decidida a acabar com isto na minha vida, até aqui
não era importante, mas agora isto incomoda-me. A verdade é que eu sempre tive
bons relacionamentos com os homens, mas ao namorar, ou quando eles pedem algo
mais sério, eu fujo, não quero um compromisso sério... E, por isso, nunca fiz
sexo. Pratico masturbação, mas não com penetração. Queria informações sobre a
primeira vez, e se isto é normal numa mulher... ou se o meu caso é grave! Agradeço
a atenção concedida.

 

Cada
pessoa tem o seu ritmo natural para fazer as coisas, e isso aplica-se também ao
sexo. Você diz que se tem masturbado durante os últimos anos mas apenas não
experimentou a penetração, o que não tem nada de mal. Respeite o seu desejo e ritmo
natural e faça apenas aquilo que quer realmente fazer, sem se sentir pressionada.
Se deseja de facto ter um relacionamento mais sério com alguém e aí então
deseja experimentar a penetração pela primeira vez, deve fazê-lo sem preocupações.
Deve no entanto partilhar com o seu companheiro o facto de ter optado por se
manter virgem todo este tempo, pois isso fará com que ele seja mais cuidadoso
na primeira vez que tiverem relações sexuais. É importante que da primeira vez
que pratiquem a penetração esteja descontraída e apenas experimente introduzir
o pénis quando estiver bastante excitada e lubrificada. Pode também
experimentar utilizar um gel lubrificante para ajudar na penetração. Se sentir
desconforto durante a penetração diga ao seu parceiro para parar e mantenha o pénis
dentro da vagina sem fazer qualquer movimento durante alguns segundos, depois
respire fundo e descontraia os músculos da vagina, e após alguns segundos diga
ao seu parceiro para continuar a penetração.

 

A primeira vez!

young-teenage-girl.jpg

 

Iniciar a vida sexual é uma escolha individual. E essa decisão deve ser pensada e tomada com maturidade. A primeira relação sexual gera muitas dúvidas: Vai doer? Vai sangrar? É o momento certo? Não existe uma altura certa para estar preparado para iniciar a vida sexual. A primeira vez é sempre diferente de pessoa para pessoa.

 

A iniciação sexual, para a maioria das pessoas, é uma situação de ansiedade, acompanhada de excitação e medo. Ela pode representar o amor, mas pode, também, ser fonte de sentimentos de frustração e de desilusão. Ninguém esquece a primeira relação sexual, porque normalmente imaginamos uma coisa e criamos muitas expetativas de como vai ser esse momento, o que muitas vezes não corresponde à realidade.

 

Ser virgem significa nunca ter tido um contato sexual, para outros, significa nunca ter tido uma relação com penetração; outros ainda, atribuem o rompimento do hímen à perda da virgindade. Não existe portanto uma definição consensual do que é a virgindade.

O significado mais comum atribuído à virgindade tem a ver com a prática sexual, em que existe a penetração do pénis na vagina havendo o rompimento do hímen. Alguns hímenes rompem logo nas primeiras relações sexuais e provocam um sangramento, enquanto outros, por serem mais flexíveis, alargam e não sangram. Mas também se pode dar o caso de uma mulher não ter hímen, ter nascido sem ele

 

Mitos da virgindade

* O tampão não tira a virgindade;

* Quem se masturba não deixa de ser virgem, mesmo que a masturbação seja a dois;

* Se a rapariga/mulher não sangrar na primeira relação sexual não significa que ela não é virgem.   

 

A dor

Por outro lado, a primeira relação sexual não implica necessariamente dor. Os mitos acerca do rompimento do hímen, da penetração, são passados de boca em boca, de geração em geração. É claro que a precipitação, a falta de confiança, o medo e a ansiedade podem fazer com que os músculos da vagina fiquem mais contraídos e que não lubrifique tanto. Nestas circunstâncias, a relação sexual pode ser um pouco desconfortável. Quando um casal se sente preparado para ter uma relação sexual, quando sente que chegou o momento, quando dispõe de tempo, basta deixar crescer o desejo, relaxar e desfrutar da intimidade a dois. As carícias, os gestos ternos, as palavras ditas com carinho, afeto e cuidado podem ajudar a descontrair.   

 

A idade ideal

Não existe uma idade, uma hora ou um espaço indicado ou aconselhado. Para uma pessoa a idade certa pode ser uma, para a(o) outra pode ser diferente. Tudo depende dos sentimentos, do desejo, da segurança, do sentido de responsabilidade, da maturidade física e afetiva.

 

A sexualidade na asolescência

Para os pais que têm filhos numa fase de grandes mudanças, como é a adolescência, há que deixar os tabus para trás e abrir a mente. Em primeiro lugar, tenha em atenção que, embora não se deva considerar a melhor amiga do seu filho ou da sua filha, é em si que eles devem apoiar-se para esclarecer muitas das suas dúvidas, bem como resolver alguns problemas. Se nunca se mostrar disponível para o diálogo, então será nos amigos da mesma idade, que sabem tanto quanto eles sobre o assunto, que estes irão procurar informação sobre sexo, ou outros assuntos, que pouco ou nada se sentem à vontade para partilhar consigo.

 

Como muitos pais não se preparam para o início da vida sexual dos seus filhos adolescentes, estes acabam por se colocar em situações de risco, tais como: gravidez prematura, contacto com doenças sexualmente transmissíveis ou experiências sexuais desagradáveis. E não falamos apenas de países subdesenvolvidos! 

 

Tenha em conta que não é pelo facto de falar com o seu filho sobre sexo que este iniciará a sua vida a este nível levianamente. E para que isso não suceda explique-lhe que o sexo é algo bom e natural, mas tem um momento certo para acontecer, que temos que estar psicologicamente e fisicamente preparados. E se dúvidas houver, os especialistas dizem que meninos e meninas devem receber o mesmo tipo de orientações. Não podem existir preconceitos. O ideal é que seja o pai a dialogar com os filhos e a mãe a esclarecer as filhas.

 

O hímen é uma membrana de pele muito fina que existe um pouco depois da entrada da vagina. As suas características diferem de mulher para mulher em função do seu grau de elasticidade.

Tema de hoje: virgindade

Bettina Rheims

 

Olá! Tenho 17 anos e comecei a ter relações sexuais aos 15, mas nunca contei nada à minha mae. Agora tive coragem de lhe contar que perdi a virgindade, só que lhe disse que foi há 2 meses atrás, pois fiquei com medo do que fosse pensar sobre mim, agora ela quer que eu vá ao ginecologista, mas tenho medo que ele descubra quando perdi a virgindade! Será que ele/ela consegue descobrir quando perdi a virgindade??
Por favor ajudem-me..
 
É de felicitar a coragem que teve em partilhar com a sua mãe que iniciou a sua vida sexual, e para ser sincera a sua mãe não deve estar muito procupada com “quando” você iniciou a sua vida sexual, mas apenas com o facto de que você é sexualmente activa e, por isso, quer que o faça de forma segura e saudável, e daí ela insistir numa consulta de Ginecologia. Por isso vá à consulta e não se preocupe, pois não existe nenhuma forma de o seu ginecologista descobrir quando iniciou a sua vida sexual. Uma vez que tem sido sexualmente activa durante os últimos dois anos é defiitivamente aconselhável que consulte um ginecologista e que faça todos os testes de rotina, bem como que inicie alguma forma de contracepção.

Virgindade

Gostaria de saber se há alguma possibilidade de saber quando foi a primeira relação sexual de uma pessoa, ou seja, em que altura da sua vida...
Lourenço
 
Caro Lourenço,
A melhor maneira e a única que conheço de saber tal coisa é perguntar à pessoa quando teve a sua primeira vez.
Se está preocupado com a virgindade do seu parceiro ou parceira, lembre-se que não é obrigatório socialmente que todas as pessoas esperem pelo casamento para iniciarem a sua vida sexual.
É antes uma escolha pessoal e privada. As mulheres foram muito penalizadas com as exigências de virgindade, com observações quase públicas do seu hímen, mas hoje em dia a igualdade permite que cada pessoa defina o seu caminho e como o quer viver e sabemos que cientificamente a membrana do hímen intacta não significa virginidade assegurada e mesmo ela pode romper ao longo da vida com outras actividades.
 

“Quais as doenças que me podem ser transmitidas se não usar protecção?”

“Tenho 15 anos e pretendo iniciar a minha vida sexual. No entanto, tenho algumas duvidas que gostava que me fossem esclarecidas. Se eu não usar preservativo nas minhas relações sexuais quais são as doenças sexualmente transmitidas que posso vir a contrair?”

 

Gonçalo, Santarém

 

Caro Leitor,

Para que consiga evitar contrair e contagiar outras pessoas, o mais seguro será o diagnóstico precoce das Infecções Sexualmente Transmitidas. Para tal, é necessário que consulte um médico assim que sentir algo fora do habitual no seu organismo. Se, por algum acaso, pensar que foi infectado, o melhor será dirigir-se ao seu médico o mais rapidamente possível, pois não deverá deixar uma infecção destas por tratar, correndo o risco de vir
a ter complicações mais sérias. As IST que se verificam com maior frequência são: o HIV, que conduz à SIDA; o Herpes Genital, semelhante ao cieiro habitual da boca e dos lábios; a Gonorreia, que tanto em homens como em mulheres poderá ser evidenciada por uma sensação de ardor ao urinar e que só se trata com penicilina; as Verrugas Genitais, inchaços pequenos e duros que aparecem junto aos órgãos genitais e que podem causar cancro no colo do útero; a Sífilis, a qual deverá ser detectada logo na fase inicial pois poderá afectar a saúde de todo o organismo, podendo mesmo levar à morte; a Clamídia, cujos sintomas são semelhantes aos da Gonorreia; a Tricomoníase, que é causada por um parasita e que provoca infecções do tracto urinário; a Pediculose Púbica, que é causada por piolhos, entre outras. Desta forma, deverá estar atento a quaisquer sinais fora do normal, tanto em si como na sua parceira, de modo a que sejam tratados na fase inicial. Claro está que a melhor técnica a adoptar será o sexo seguro, isto é, cada vez que tiver relações sexuais o melhor caminho para a prevenção será o uso regular do preservativo.

“É possível saber quando ela deixou de ser virgem?”

 

 

 

Gostaria de saber se há alguma possibilidade de saber quando foi a primeira relação sexual de uma pessoa, ou seja, em que altura da sua vida…”

 

Tiago, Guarda

 

Caro leitor,

A melhor maneira e a única que conheço de saber tal coisa é perguntar à pessoa quando teve a sua primeira vez. Se está preocupado com a virgindade da sua parceira, lembre-se que não é obrigatório socialmente que todas as pessoas esperem pelo casamento para iniciarem a sua vida sexual. Trata-se antes de uma escolha pessoal e privada. As mulheres foram muito penalizadas com as exigências de virgindade, com observações quase públicas do seu hímen, mas hoje em dia a igualdade permite que cada pessoa defina o seu caminho e como o quer viver e sabemos que cientificamente a membrana do hímen intacta não significa virgindade assegurada, pois mesmo ela pode romper ao longo da vida com outras actividades.

“Sou virgem e a masturbação causa-me dores!”

 

Quando tento masturbar-me tenho muitas dores e não consigo atingir o orgasmo, e por isso aos 24 anos sou ainda virgem. Será que alguma vez vou ser capaz de ter relações sexuais sem dor?”

 

Marco, Almada

Caro leitor,

Por vezes, homens que não são circuncidados têm problemas durante as relações sexuais e masturbação devido à pele que cobre a cabeça do pénis não retrair completamente durante o coito e a masturbação, o que pode ser bastante doloroso. Dessa forma, uma questão importante é se o leitor foi circuncidado ou não, ou seja, se o leitor tem a pele que cobre a cabeça do pénis intacta ou se esta foi removida quando o leitor era bebé. Se o leitor não é circuncidado, experimente tentar retrair a pele da cabeça do pénis e veja se isso lhe causa dores. Se for esse o seu caso, o leitor pode necessitar de fazer uma cirurgia rápida na qual essa pele é cortada, permitindo que a cabeça do pénis fique exposta. Essa cirurgia é bastante simples de efetuar e não acarreta quaisquer riscos. No entanto, consulte um médico pois apenas este lhe poderá dar um diagnóstico mais preciso.

 

“O ginecologista pode descobrir que já não sou virgem?”


“Tenho 17 anos e perdi a virgindade há pouco tempo. Desde que comecei a menstruar que vou pelo menos uma vez por ano ao ginecologista. Tenho uma consulta brevemente e tenho vergonha de dizer que já não sou virgem. Se eu não disser ele pode descobrir que iniciei a minha vida sexual?

Carla, Ourém

Cara Leitora,

Não tenha receio em ir à consulta de ginecologia, pois existe uma convenção associada ao sigilo médico. Assim, o seu ginecologista não deve divulgar nenhum tipo de informação sem o seu consentimento. Também não vejo qualquer razão para que sinta vergonha em não ser virgem. A perda da virgindade é um processo natural, por isso esteja tranquila e vá à sua consulta normalmente. Primeiro porque o seu médico lida frequentemente com este tipo de situações e segundo não deve colocar em risco o seu bem-estar por estar acanhada. Existem de facto vantagens em o seu médico saber que a leitora é sexualmente activa. Dessa forma, pode informá-la a respeito das diferentes formas de contracepção, e pode também realizar testes de rastreio para detectar doenças transmitidas sexualmente, coisa que todas as pessoas que são sexualmente activas deviam fazer. Quanto ao facto do ginecologista poder perceber se já não é virgem, entenda que o seu médico não esta lá para a julgar, mas sim para assegurar que tudo está bem com a sua saúde, por isso é até bom para si que ela esteja a par do facto de que a leitora é sexualmente activa. Se preferir não contar ao seu médico, durante o exame ginecológico, o médico pode verificar se o seu hímen rompeu ou não, porém, o seu hímen pode ser um hímen complacente (ser tão elástico que não se rompa com a penetração). Neste caso, não há forma de se saber se é virgem ou não. Não receie ir à consulta, é apenas para o seu bem.